Arquivo mensal: maio 2018

Se eu fosse o Presidente…

Olá amigos rubro-negros!

Se eu fosse o Presidente…, espero não sê-lo jamais, falaria menos e agiria mais; criaria um canal de comunicação permanente com o sócio torcedor, deixando-o a par de todo planejamento e ações desenvolvidas e a desenvolver no clube; seria mais humilde e procuraria ouvir a todos, abrindo os olhos e o coração para perceber os anseios e ouvir as sugestões dos torcedores – A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS!; seria menos arrogante, deixando de achar que sei de tudo e que tenho solução pra tudo; primaria pela qualidade ao invés da quantidade, pois sabemos que é melhor ter um bom que dois ou três ruins; procuraria ter sabedoria e ser um agente agregador, colocando ao meu redor profissionais qualificados, estratégicos e que amassem o ECVitória acima dos seus interesses pessoais…

Nunca vi tanta rejeição em tão pouco tempo. Cinco meses e nada – ou melhor, falta de atitude e muita coisa ruim acontecendo. Falta de uma gestão integrada e sistêmica. Tropeços em cima de tropeços. Já disse e repito: o pior cego é aquele que não quer enxergar; quem não ouve conselhos, ouve “coitado”. Quem avisa amigo é!

Para um bom gestor, tudo isso é óbvio. Porque não fazê-lo? Falta humildade e sabedoria.

Volto a lembrar do Grande Mestre Evaristo de Macedo: Não tenha jogador ruim em seu elenco, pois um dia você vai precisar colocá-lo para jogar e aí você vai se arrepender amargamente de tê-lo contratado – retorno ZERO! O nosso elenco está cheio de jogador ruim.

Estou há mais de um mês sem escrever. Aguardando que saísse algum coelho da cartola do PRESIDENTE RICARDO DAVID. Cansei. Desse mato está difícil sair algum coelho. Continuarei aguardando. Haja paciência!!!

Meu último texto publicado foi em 12/04/2018 – Cem dias sem nada. Nesses últimos quarenta (40) dias muitas coisas aconteceram, a maioria ruins. A cada acontecimento, pensava em escrever um texto. Quando eliminamos o Internacional da Copa do Brasil (19/04), nos pênaltis, no Barradão, depois de vencer de 1 x 0 no tempo normal, pensei em escrever “Tirando leite de pedra” para mostrar o que Mancini estava fazendo com esse elenco limitadíssimo. Fiquei aguardando que aparecesse um fato novo trazido por RD. Não veio nada. Logo depois, no domingo 22/04, perdemos de 2 x 1 para o Atlético Mineiro na Arena Independência em Belo Horizonte. Aí pensei em escrever “O leite secou” ou “Não tem mais leite na pedra”. Na sequência, dia 25/04, 19h30, no Barradão, o Vitória empatou sem gols com o Corinthians, na primeira partida pela Copa do Brasil. Mais uma vez, Mancini deu um show de tática, anulando o milionário time dos Gaviões da Fiel. Tirou leite de pedra? Novamente!

Sem um elenco qualificado, no jogo de número 200 sob o comando de Mancini, mais uma vez esse remendo de time decepcionou o torcedor rubro-negro ao perder de 2 X 1 para o América Mineiro (concorrente direto – jogo de seis pontos), no Estádio Independência, em Belo Horizonte, numa segunda-feira (30/04). Tudo como dantes no Quartel de Abrantes.

Em 02 de maio, o zagueiro Aderllan (29 anos), ex São Paulo, apesar do seu passe pertencer ao Valencia da Espanha, assinou contrato até o final desta temporada. Esperança de melhorar a nossa vazada zaga (com trocadilho e tudo).

Para resumir esse histórico, em 06/05, pelo brasileirão, perdemos para o Fluminense-RJ de 2 x 1 em pleno Barradão; em 10/05, pela Copa do Brasil, perdemos para o Corinthians no Itaquerão; em 13/05, tivemos a alegria de comemorar os 119 anos do Leão da Barra com a vitória de 3 x 2 sobre o Vasco da Gama em São Januário-RJ; como toda desgraça pra c… é pouco, no dia 16/05, pela Copa do Nordeste, tomamos um sapeca iaiá de 3 x 0 do Sampaio Correia-MA. Praticamente demos adeus ao Nordestão. Só um milagre para revertermos!

Agora é hora de levantar a poeira e dar a volta por cima e ganhar do Ceará no próximo domingo, às 11 horas, no Barradão, pelo Brasileirão. Outro jogo dos desesperados. Jogo de seis pontos.

Ainda tenho muita coisa para escrever sobre os erros de gestão e as decisões equivocadas, como a do BAVI que o time teve vários jogadores expulsos e suspensos por vários jogos. Em outra oportunidade vou falar sobre o que não foi feito, como o centro apoio e reabilitação psicológica aos atletas, inclusive e principalmente da base.

São tantas obviedades e promessas não cumpridas que daria para escrever um livro. Fá-lo-ei.

Há poucos houve uma coletiva de imprensa, porém, como sempre, não saiu coelho da cartola!

Um amigo torcedor me perguntou ontem se não havia uma máfia ou um complô para derrubar alguém? Respondi que não, e que a causa do problema era a falta de atitudes/ações de gestão. Falta uma gestão integrada, profissional, estratégica e sistêmica. Ou seja, muito lero lero e poucas ações. Quem não tem competência não se estabelece.

Ainda acredito, pois apostamos todas as fichas nessa gestão. Por favor, não nos decepcione (mais)!. Tire um coelho dessa cartola!

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: