Arquivo mensal: março 2012

O que vimos?

Olá amigos rubro-negros!

O jogo de ontem à noite no Barradão contra o Fluminense de Feira (1 X 1) foi uma coisa horrível!

E o que vimos?

Vimos, novamente, um time apático, um time sem um padrão de jogo, um bando de jogadores sem um esquema tático, enfim, o jogo da noite dessa quarta-feira foi uma coisa horrorosa!

O torcedor sofreu, vaiou, gritou, xingou, sentiu e viu tudo de ruim que podia ver num jogo dentro do Barradão. Um jogo dos horrores. Pois é, foi isto que Maurício Naiberg me disse quando estava saindo do estádio. Concordei e pensei: é sobre isso que vou escrever. Foi assim que todos nós vimos o jogo de ontem (28/03).

Ouvindo outros torcedores, o sentimento era o mesmo. E o pior é que, a cada dia que passa, a nossa confiança e nossa esperança em termos um time competitivo, que possa fazer frente aos nossos adversários na Copa do Brasil e no Brasileiro rumo à série “A”, ficam mais distantes, ficam mais difíceis.

E aí, o que realmente tem que ser feito para sairmos dessa situação, pois, no papel, pelos jogadores que temos, o nosso elenco não é dos piores? Podemos até afirmar que é um bom elenco. Então, o que está faltando? É o técnico? São os problemas extra-campo, dos bastidores? Tenho feito constantemente essas perguntas, não para dar ou por ter as respostas, mas para que elas possam servir de reflexão e, assim, redefinirmos os rumos para um VITÓRIA VENCEDOR, VIBRANTE E CONFIANTE.

Vocês devem ter notado que eu tenho evitado citar nomes, seja para criticar ou elogiar, uma vez que se o digo num dia, no outro tenho que “desdizer”, e por aí vai…

A paciência dos rubro-negros com Cerezo está se esgotando…

VAMOS LÁ GLORIOSO VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Anúncios

Um time que precisa aprender a se reinventar.

Olá amigos rubro-negros!

Volto a perguntar: o que acontece nos bastidores para que o time do VITÓRIA jogue uma partida MARAVILHOSA num dia e horrível em outro? Outra pergunta: como é trabalhado o psicológico da equipe na preparação para um jogo, pois basta mudar um ou outro jogador e o time fica irreconhecível, sem vontade, sem garra? O conjunto todo fica comprometido. Ontem, na derrota para o Bahia de Feira por 2 X 0 aconteceu tudo isso.

Parece que há um “desaprendizado” coletivo. É goleiro não se entendendo com lateral; é zaga tornando fácil a vida dos atacantes adversários; é meio-de-campo e ataque não se comunicando; é tudo de ruim acontecendo que não dá nem para pontuar. Foi uma “mercadoria” total.

Não queremos tirar os méritos do genérico, porém é preciso ter consciência que cada jogo é uma história, é uma batalha diferente. É PRECISO APRENDER A SE REINVENTAR sempre. Saber construir caminhos (tática e preparação) diferentes para jogos idem.

Justamente quando começamos a adquirir confiança; justamente quando começamos a elogiar todo o grupo; justamente quando pensamos ter encontrado a escalação ideal, aí jogam uma partida tão medíocre que nos faz “desdizer” tudo que dissemos na semana anterior: Guerreiros, gladiadores, onde vocês estiveram nesse domingo que não os vi? Sabemos que nem todo dia é dia de índio, mas o profissionalismo, a garra, a vontade e o conjunto são coisas que se constroem no dia a dia, são coisas que devem acompanhar uma equipe que está determinada a voltar à elite do futebol brasileiro. Vencer ou não é uma conseqüência.

Conheci vários parentes meus na semana passada em Brasília e, pela minha paixão pelo Leão da Barra, os mesmos se declararam novos torcedores do GLORIOSO VITÓRIA. Espero que continuem torcendo, apesar desse tropeço. Aproveito para mandar um abraço para todos: meus tios Bispo e Dora, minhas primas Iara (e filhos Robson, Katerine, Ronam, Karoline, Douglas e Matheus) e Íris.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

UMA VITÓRIA ANUNCIADA.

Olá Amigos rubro-negros!

Após o coletivo apronto da quarta-feira passada, quando o VITÓRIA venceu o São Domingos-SE no Barradão por 2 X 0, comecei a afirmar CATEGORICAMENTE para alguns amigos e colegas que o LEÃO DA BARRA venceria o time de Itinga. Cheguei a brincar com alguns dizendo que, apesar de não ter “BOLA DE CRISTAL”, a VITÓRIA do VITÓRIA era coisa certa. Foi o que aconteceu. Eu tinha tanta certeza que apostei e ganhei alguns litros de whisky. Mas, o mais importante em tudo isso era (e é) a confiança que tínhamos. E ela se confirmou. Era o que precisávamos: adquirir ritmo e padrão de jogo e, principalmente, começar a se impor a quem quer que seja de que o BARRADÃO é o nosso SANTUÁRIO, é a nossa ARENA e que aqui quem manda, reina e dita o ritmo é o Leão da Barra, é o GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA.

Os gladiadores, na Roma antiga, entravam na arena para lutar como se fosse o último dia, a última luta da vida deles, o que para a grande maioria era uma verdade. Entravam com foco, concentração e vontade, pois qualquer erro, qualquer vacilo seria fatal. Assim o foi na batalha dessa tarde de domingo.

Foi um jogo eletrizante, frenético, digno do nosso torcedor que foi para o BARRADÃO com a certeza de um grande espetáculo. Os GLADIADORES RUBRO-NEGROS lutaram, suaram a camisa e foram recompensados.

Para mim, como já dizia desde a quarta-feira, foi UMA VITÓRIA ANUNCIADA.

No momento, não quero falar dos detalhes do jogo, nem de quem foi o melhor jogador. Neste momento, quero vibrar com toda a NAÇÃO RUBRO-NEGRA e dizer:

COMO É BOM E MARAVILHOSO GANHAR DO TIMINHO DE ITINGA. NÃO IMPORTA COMO, NEM DE QUANTO, O IMPORTANTE É GANHAR.

VALEU VITÓRIA!!!

VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

VENCEU E (QUASE) CONVENCEU

Olá Amigos rubro-negros!

Bastou Cerezo deixar de ser cabeça dura, tirar Lúcio Flávio e colocar Geovanni (e Pedro Ken), para que o time do Vitória mudasse de cara e passasse a (quase) convencer. Foi um outro time em campo. Ganhou de 4 X 1 da fraca equipe do Camaçari. Podia ter aplicado uma goleada ainda mais ampla, não fosse a falta de pontaria e outras coisas mais de alguns jogadores. Precisam treinar mais esse fundamento: chutes a gol (finalizações).

Um amigo rubro-negro comentou no meu blog www.rocharubronegro.com que queria que “o Vitória vencesse seus jogos de goleada, mesmo que não convencesse”. Também concordo, pois se o nosso Glorioso Vitória vencer uma, duas, três partidas seguidas, já estará convencendo. Já estará mostrando um padrão de jogo, um conjunto, uma consistência. O que ele não pode é golear num dia e perder ou empatar no outro contra times de limitada capacidade técnica.

Teremos dois jogos super importantes no Barradão esta semana: na quarta-feira, pela Copa do Brasil, contra o São Domingos-Se, e, no domingo, contra o time de Itinga. Esperamos continuar vencendo e convencendo.

Mais uma vez, esperamos que Cerezo tenha aprendido a lição: ouvir (ou ler) aqueles que querem o melhor para o Vitória.

Hoje, um amigo me falou: “Rocha, acredito que eles (Cerezo, os diretores e jogadores do Vitória) devem ler o que vocês estão escrevendo. Percebo também que o pessoal da TV Bahia e da imprensa de um modo geral repetem quase tudo que leio no seu  blog e no www.ecvitorianoticias.com”. Espero que esse amigo tenha razão, pois já declaramos que queremos o melhor para o nosso GLORIOSO VITÓRIA, e a intenção é contribuir positivamente com análises críticas e sugestões.

Sábio é aquele que se melhora ouvindo e aprendendo com os outros.

Vamos vencer e convencer sempre.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

PERMANECER NO ERRO É…

Olá amigos rubro-negros!

 

Volto a repetir: parece brincadeira como o time do Vitória joga de um jeito num dia e completamente diferente no outro. E o que é pior é que joga bem num dia e ruim (ou péssimo) no outro. Ao invés de evoluir, regride.

Como bem disse Maurício Naiberg sobre os 5 X 0 no Atlético de Alagoinhas: “Venceu mas não convenceu”. O Vitória está sendo isso aí, mesmo quando vence não convence. São os mesmos problemas de falta de conjunto, falta de padrão, falta de tudo…

E a insistência de Cerezo com Lúcio Flávio? Será que todos nós estamos errados e ele certo? Duvido!

Fica até difícil escrevermos nossos comentários, pois passam a ser repetitivos. A essa altura do campeonato já devíamos ter um padrão de jogo. A boa notícia é que os jogadores que estavam machucados e os novos contratados já estão quase todos à disposição da comissão técnica. O problema é Cerezo colocá-los para jogar.

Ficamos sempre aguardando (na esperança) que no próximo jogo o time convença, o que não aconteceu até agora.

O foco tem que ser o conjunto da equipe com um padrão definido, um time consistente e que passe segurança para todos nós. Cadê o time alegre? A nossa paciência já está se esgotando. Junto a tudo isso ainda temos que conviver com a lerdeza da diretoria em tomar decisão, corrigir os rumos e ter atitudes nas horas certas. Como já disse, o time em campo é o reflexo do que se faz fora dele. E aí o buraco (ou burraco de burrice) é mais embaixo!

Temos que vencer e convencer e não ficar dizendo que o empate é um bom resultado. O semblante de Cerezo já está ficando carregado. Será que ele não lê os comentários, as críticas e as sugestões de quem quer o melhor para o nosso GLORIOSO VITÓRIA?

Vamos esperar pra ver.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!  

É UMA FARTURA!!!

Olá amigos rubro-negros!

Quando procuramos falar ou escrever de forma equilibrada, utilizando a razão e o coração, parece que temos uma “BOLA DE CRISTAL”, uma vez que, assim, dá a impressão que prevemos o futuro, ou melhor, a falta de futuro. Esse é o nosso sentimento com o atual time do ECVitória.

Por mais boa vontade que temos, não dá para ser otimista.

É UMA “FARTURA”!!!

“Farta” conjunto, “farta” técnica, “farta” qualidade individual, “farta” entrosamento, “farta” padrão de jogo, “farta” tudo. É UMA FARTURA de falta tudo.

Basta a gente elogiar um jogador num jogo para ele queimar a nossa língua no jogo seguinte.

Sem querer crucificar ninguém, mas Cerezo precisa parar de mexer no time a cada jogo.

O Vitória jogou bem vinte minutos contra esse mesmo Serrano, domingo passado no Barradão, por que ele não manteve o mesmo time. Colocou Mineiro para depois substituir; deixou Dinei no banco para depois colocá-lo de volta. Conclusão: não se mexe em time que está ganhando. Porque não substituir somente aquele que se machucou ou foi suspenso?

PACIÊNCIA TEM LIMITE!!!

O time ontem parecia um bando. Irreconhecível. Sofrível.

Queremos uma equipe equilibrada, com padrão, com conjunto, harmonizada, focada e consciente do seu papel, do seu tamanho, da sua qualidade e da sua grandeza.

Estamos falando do GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA, TIME de PRIMEIRA que está temporariamente na segunda divisão.

E Vitor Ramos?

E Mansur?

E Lúcio Flávio?

O que está acontecendo nos bastidores para o time entrar em campo todo desfigurado e desequilibrado daquele jeito? Que pressão e sentimento estão passando para os jogadores na concentração e na preleção?

ACHO QUE O BURACO É MAIS EMBAIXO!

Conforme Chumbinho, nas suas explicações por ter deixado o ECV, e um grande número de comentários, o clima no departamento de futebol e no alto escalão do Vitória está refletindo dentro de campo. Estamos precisando de um CHOQUE DE GESTÃO, começando pela presidência/diretoria.

Que a alteração do ESTATUTO, agora, e a ELEIÇÃO, em dezembro, possam dar novos rumos ao nosso GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA.

 

VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!


%d blogueiros gostam disto: