Arquivo mensal: dezembro 2014

Uma no cravo e duas na ferradura.

Olá amigos rubro-negros!

Esta será rapidinha. É somente para não passar em branco e não perder a oportunidade de registrar a mesmice, a infantilidade, a falta de imaginação, o não aprender com os erros, o surpreender negativamente, o mesmo de sempre… Uma no cravo e duas na ferradura.

A pressa em mostrar serviço, em tentar consertar tudo que não fez neste ano (o pior ano do resto de nossas vidas) vem levando os dirigentes do NOSSO OUTRORA GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA a cometer os mesmos erros, ou melhor, a cometer os velhos e manjados erros.

Vamos aos fatos: (1) POSITIVO – Gostei da contratação do novo técnico Ricardo Drubscky e da promoção de Carlos Amadeu. Esperamos que correspondam às nossas expectativas e que a Diretoria dê os recursos necessários para a montagem de uma equipe competitiva para 2015 – também, pior que 2014, jamais teremos; (2) NEGATIVO – contratar, mais uma vez, um ex de Itinga, e que foi escorraçado de lá, aqui prá nós, é muita falta de imaginação e de bom senso – as referências são as piores. Não adianta nem torcer que dê certo que não vai acontecer. É mais um tiro no pé – Anderson Barros, o novo executivo de futebol; e, finalmente, (3) NEGATIVO – a pretensão em contratar Neto Baiano, 32 anos, fim de carreira, reserva do Sport. O passado não volta. Ele (o passado) só serve para aprendermos com ele, refletirmos sobre ele. Neto é um “ex-próximo-futuro-jogador”.

Era somente isto que eu tinha para dizer. Estou saindo de férias, mas não podia deixar de registrar estas minhas impressões.

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO 2015!!!

Com certeza não será pior que 2014, o pior ano do resto de nossas vidas. Pelo menos é o que esperamos, mas???

É ou não é UMA NO CRAVO E DUAS NA FERRADURA?

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Anúncios

O rei está nu.

Olá amigos rubro-negros!

Hoje vocês vão ter um pouco de paciência comigo, pois, além de ser o nosso último texto do ano, é também um desabafo, meu e de todos os sofridos súditos rubro-negros, neste que foi o pior ano do resto de nossas vidas. O pedido de paciência é porque tenho que dividir este texto em três partes: a primeira é sobre a derrocada do ano, citando os principais fatos/fracassos e as atitudes ou falta delas por quem de direito. Que rei sou eu? A segunda é sobre alguns pontos que norteiam o bom e o mau gestor, o seu perfil e o seu (interior) psicológico; e, por fim, a terceira parte que é o fechamento de tudo isso.

Vamos aos fatos: no futebol, perdemos tudo que disputamos neste escabroso ano, seja no profissional, seja nas divisões de base. Um ano para se esquecer. No primeiro semestre perdemos o baianinho, os BAVIs (empatamos um), Copa do Nordeste, Copa do Brasil… Tudo isto com o ABANDONADOR DA PÁTRIA Ney Fraco que saiu como se nada tivesse acontecido e foi colocar o Flamengo na lanterna do Campeonato, sendo escorraçado de lá e com certeza para nunca mais voltar. Mas, para nos surpreender ainda mais, negativamente, eis que chega outro descartado do time de Itinga para continuar a saga do afundamento. Nesse ínterim, para não dizer que não teve nenhum atitude, o bode expiatório do Raimundo Queiroz é mandado embora, nada mudando no nível das contratações. E aí meus amados irmãos eis que, não satisfeitos com tudo de ruim que nos aconteceu, demonstrando não ligarem para a dignidade humana, repatriam o AFUNDADOR DA PÁTRIA Ney Fraco para escreverem, a múltiplas mãos, o epílogo dessa maldita saga, O REBAIXAMENTO para a série “B”. Agora sim, estamos no fundo do poço!!!

E para completar, eis que do fundo desse poço aparece um grupo com discurso pronto (anteviam o naufrágio?), camisas de luto, aplaudindo, e que, segundo Malu Fontes, parecia mais uma foto das DPs da vida. Faltou demonstração de segurança, sobrou infantilidade e falta de estratégia. Que rei sou eu?

Foram tantos erros, incompetências múltiplas, falta de atitudes idem, outras infantilidades e tudo de ruim que podia acontecer aconteceu. E olhe que não foi por falta de avisos. Um ano para se esquecer.

Os sucessivos erros poderiam ter sido consertados ou pelo menos amenizados. Faltaram atitudes tempestivas. E não foi por falta de avisos, volto a dizer. Então Sêo Minino o que realmente aconteceu? O que o Sinhô tá vendo que nós outros não vimos? Será uma longa e horripilante estória, mas de logo aviso: não vi e não direi nada que você e todos os súditos sofredores não sabem ou já não disseram inúmeras vezes. Procurei até agora e procurarei sempre ser os ouvidos dos “frascos e comprimidos”. Mas agora não adianta mais chorar sobre o leite derramado…

Também não adianta chegar agora cheio de desculpas e arrependimentos, com cara de humilde, pois existe uma diferença muito grande entre medo e humildade, assim como existe uma diferença muito grande entre apresentar diagnóstico (desculpas/justificativas) do que aconteceu e construir uma nova realidade, o verdadeiro fazer acontecer. Existe também uma grande diferença entre defensividade/reatividade (ter explicações e justificativas para tudo) e proatividade (criar o ambiente e as condições necessárias para que as coisas aconteçam – planejamento x execução). O sábio, além de ouvir muito, prepara o terreno e dá oportunidade para que seus discípulos/súditos tenham tranquilidade para falar e agir.

Que houve muitos erros já foi assumido publicamente, porém ainda vão ter que provar que aprenderam com os erros, porque até agora só deu para reconhecer, o que já é alguma coisa.

Que tenhamos todos aprendidos que se deve agir antes que o grande mal aconteça, enquanto existe tempo de se consertar os erros cometidos. Humildade é uma forma de ser. O humilde é reconhecido pelos seus súditos. Ninguém que se diz humilde o é, pois só em falar, deixa de sê-lo. As palavras têm de estar condizentes com as atitudes e deverão ser sempre melhores que o silêncio. O verdadeiro detentor do poder ouve mais, fala menos, age mais e tem o silêncio como referência da sua consciência, do seu poder… Você não precisa querer saber tudo, ter explicação para tudo. O que você, líder e poderoso precisa é permitir que os seus colaboradores, que os coordenadores escolhidos por você falem, exponham seus pontos de vista, que tenham liberdade para executar o que foi planejado e delegado…

Pois é meus amigos rubro-negros, súditos e parceiros desse infortúnio, depois de apresentarmos no nosso texto da semana passada Vinte possíveis títulos para sua escolha, antevendo o desfecho melancólico e pífio do nosso outrora GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA, o meu preferido, e que resume o desastre deste ano, foi “O pior ano do resto de nossas vidas”, plagiando o título do filme O primeiro ano do resto das nossas vidas.

Quem é Conselheiro ou Dirigente não precisa vestir camisa afirmando que está ou estará com o NOSSO OUTRORA GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA em qualquer divisão, pois, por sê-lo já confirma que estará, isso seria para o simples e apaixonado torcedor, mas sim avisar, alertar, antes que o mal aconteça, que O REI ESTÁ NU.

VITÓRIA, VOCÊ É E SERÁ SEMPRE A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Vinte possíveis títulos…

Olá amigos rubro-negros!

Estou em crise! Estou com problemas de identidade. Não sei o que fazer. Não sei o que escrever, pois são tantas as vertentes que daria para escrever um livro, com, no mínimo, vinte capítulos, utilizando os possíveis títulos que poderiam ser aproveitados neste texto desta SEGUNDA-feira tenebrosa, maldita… Êta SEGUNDONA BRABA!!!

Mas meus nobre companheiros de “sofrência”, não bastasse o PABLO da semana passada, eis que novamente o outrora GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA toma um sapeca Iaiá de 4 X 0 no jogo treino do Flamengo, tornando a nossa noite de sábado (29/11), dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, em nosso dia das BRUXAS. Culpa de quem? Não pode ser perguntado no singular, tem que ser no plural: CULPA DE “QUENS”?

Cada um de nós, os sofridos torcedores rubro-negros, terá e fará a sua resposta, escolhendo e fazendo seu comentário a partir da opção de um dos “Vinte possíveis títulos que poderíamos dar a este texto”. Ela (a resposta) ficará no subconsciente ou inconsciente de cada um de nós. Só Freud poderia explicar, ou melhor, talvez nem Freud explique, pois a situação que nos encontramos ou chegamos decorre de uma sucessão de erros e de falta de atitudes cometidos durante todo este ano de 2014.

Vamos aos Vinte possíveis títulos:

1- Ridículo e deprimente!!!

2- Timinho horrível!!!

3- Sem time e sem tática

4- Ney Fraco, o louco.

5- O Afundador da Pátria!

6- O time é a cara do dono.

7- A casa da mãe Joana.

8- Sua casa é a sua cara.

9- Sua casa, sua vida.

10- Time de MACHOcados!

11- Descontrolados…

12- Juiz (árbitro) ganha jogo sim.

13- Só Deus salva (será?).

14- Na segunda é outra história

15- Quem ficará?

16- O pior ano do resto de nossas vidas.

17- Um ano para se esquecer.

18- Perdeu tudo.

19- E a dignidade?

20- O pior cego é aquele (quem?)…

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

%d blogueiros gostam disto: