Arquivo mensal: outubro 2012

Os torcedores querem explicação

Olá amigos rubro-negros!

O que é que nós torcedores e amantes do GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA temos a dizer depois da decepcionante derrota, por 1 X 0, para o São Caetano, na noite da sexta-feira passada (26/10), dentro do Barradão? Nada. Queremos é ouvir.

Os torcedores querem explicação, os torcedores querem justificativas, os torcedores querem consolo, os torcedores querem raça, os torcedores querem determinação, os torcedores querem comprometimento, os torcedores querem profissionalismo, os torcedores querem resultados, os torcedores querem títulos, os torcedores querem DNA DE VENCEDOR…

Todos nós já estamos cansados de tanta desilusão, de tanta decepção, de tantas vezes acontecerem as mesmas coisas com o time: nadar, nadar e morrer na praia. Como é que o mesmo raio, ou os mesmos raios caem duas, três, dez, ene vezes no mesmo lugar – no BARRADÃO? Quem é ou quem são os responsáveis por isso? Os protagonistas são os mesmos? É problema de gestão? É problema de DNA? É problema psicológico ou são vários os motivos, as causas? O pior de tudo é que todos nós já identificamos algumas dessas causas. Já foram ditas e "reditas" por mim, por você, por todos nós. Vejam os nossos artigos anteriores (meus e de vários outros escribas) e veremos a identificação de uma quantidade enorme de problemas, assim como muitas sugestões de solução. O pior cego é aquele que não quer ver.

Os jogadores do Vitória estão precisando urgentemente de acompanhamento de um bom profissional em psicologia, em motivação, pois, no próximo sábado, às 16h:20 (horário de Brasília – 15h:20 horário da Bahia), já volta a jogar contra o Bragantino – que ganhou de 1 X O, no Barradão, no primeiro turno.

É preciso que, além do trabalho motivador, cada atleta reconheça as suas deficiências, suas falhas e que possa se dispor a trabalhar e a se superar em função do coletivo, assumindo a sua responsabilidade, se comprometendo e tendo a atitude necessária para a busca do resultado positivo, da conquista dos pontos para o grupo sair vitorioso dessa jornada.

Para que tudo isso seja superado é importante que a leveza, a alegria, a vontade de jogar e a disposição para ganhar voltem a reinar no íntimo de cada jogador e passa contagiar todo o grupo, pois, antes de mais nada, é preciso que todos eles tenham consciência de que não existe nada fácil. É preciso que voltem a ter responsabilidade, foco, atitude e determinação.

Nós, torcedores e sofredores rubro-negros, queremos as explicações necessárias, porém, mais do que isso, precisamos de garra, vontade de vencer, entrega dentro e fora de campo. O pior de tudo é que temos que suportar mais um ano dos DNAs perdedores que estão impregnados no nosso GLORIOSO VITÓRIA. Precisamos fazer uma limpeza genética.

ESTÁ DIFÍCIL, MAS, AINDA ACREDITANDO, VAMOS SER CAMPEÕES DO SÉRIE "B" DESTE ANO.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Anúncios

Não vale a pena ver de novo. Por Vinícius Morgado*

Olá amigos rubro-negros!

Na noite de sexta-feira do dia 26/10/2012, acompanhando, como de hábito, meu E.C. Vitória no Barradão, fui acometido novamente por aquela entranha sensação de DÉJÀ VU. Desta vez não deixei este sentimento se perder nos meus pensamentos e me concentrei com o firme propósito de descobrir onde eu já tinha visto aquela cena. Foi na tarde de sábado do dia 19/11/2011, no mesmo local (Barradão), envolvendo os mesmos personagens: o E.C. Vitória e o São Caetano. O desfecho trágico todos conhecem.

Na verdade, desde a gestão do Sr. Alex Portela Júnior, a torcida Rubro Negra experimentou várias vezes esta sensação de DÉJÀ VU, sempre com acontecimentos desagradáveis ocorridos no outrora santuário Barradão: empate sem gol contra o Atético-GO, culminando com o rebaixamento para a Série B (2010), perda do título inédito do pentacampeonato Baiano, de virada (o empate nos dava o título), para o modesto Bahia de Feira de Santana (2011) e derrota nos minutos finais para o São Caetano que praticamente nos afastou da possibilidade de ascender a série A em 2012.

Infelizmente, nosso presidente não trouxe na sua carga génetica a competência para armar grandes times. O velho Alex (o pai) entendia tudo de futebol e montou em meados da década de 70 a melhor equipe rubro negra que minha geração teve oportunidade de testemunhar: Andrada, Osni (em grande forma, antes de se lesionar gravemente no Flamengo e ficar bichado), Fischer (centroavante argentino fantástico), Léo Oliveira, Joãozinho, Afrânio, Jorge Valença e Valdo (falso ponta esquerda que voltava para fechar o meio). Entretanto, este time só ganhou o campeonato do Nordeste de 1976 e o então presidente ficou com o estigma de “pé frio”, que eu particularmente tenho outra opinião: faltava uma gestão nos bastidores do futebol, procedimento adotado de forma profissional pelo E.C. Vitória a partir da era Paulo Carneiro (é fato, ninguém pode negar!).

Voltando ao atual presidente, defendo a tese de sua inabilidade para gerir uma entidade do porte do E.C. Vitória, cujo orçamento anual do departamento de futebol gira em torno de R$ 50 milhões. Entendo que a formação do elenco com a contratação da comissão técnica e dos jogadores deve ser feita pelo Diretor de Futebol (normalmente, um profissional profundo conhecedor do ofício). No momento que nosso Vitória era líder absoluto da série B, Alex foi às rádios para dizer que foi o único responsável pela montagem do time, inclusive enaltecendo a contratação de Pedro Ken, mesmo sem os avais de Raimundo Queiroz ou Chumbinho (não lembro quem era o Diretor de Futebol na época) e do técnico Toninho Cerezo. Errou duas vezes: primeiro porque este não é o seu papel como presidente, cometendo uma falha administrativa imperdoável que é passar por cima do seu diretor de futebol e segundo por ter contratado errado, cometendo os mesmos equívocos do ano passado, apenas em posições diferentes. Em 2011, as contratações foram em profusão para a posição de meio-campo, com jogadores de idade avançada e refugados de outros centros futebolísticos, como Geraldo, Xuxa, Geovani, Lúcio Flávio e outros menos votados. Para a posicão de atacante (centroavante e jogador de beirada), o elenco contou com apenas quatro jogadores: Fábio Santos, Neto Baiano, Marquinhos e Rildo. Com as frequentes contusões de Marquinhos e a suspensão irresponsável de Rildo, a equipe ficou com apenas dois centroavantes na reta final de campeonato. Já em 2012, o elenco conta com oito atletas para a posição de atacante (Marcelo Nicácio, Dinei, Elton, William, Willie, Marquinhos, Marco Aurélio e Leilson) e apenas quatro zagueiros (Gabriel, Victor Ramos, Rodrigo Costa e Dankler). Com o retorno de Dankler para o Sub-20, método adotado para pressioná-lo a renovar seu contrato, e o posterior passe livre dado a Rodrigo Costa, o elenco passou a contar com apenas dois jogadores para a posição. A contusão de Victor Ramos, tornou a situação dramática, resultando na ascensão do futuroso Josué ao time principal. Contudo este promissor jogador, além de ser muito verde, carece de uma preparação física mais acurada, por se tratar de um atleta muito franzino que para um zagueiro pode fazer a diferença. Antes mesmo de todas estes fatos ocorrerem, como um pequeno conhecedor do esporte Bretão, tive a obrigação de alertar a Diretoria, 11 dias antes de vencer o prazo de inscrição dos jogadores na CBF, conforme transcrição do e-mail abaixo:

Que continue assim, jogando mal e ganhando

Olá amigos rubro-negros!

Ufa! Salve, salve, salvador Deola! Que sufoco!

O melhor de tudo é que conquistamos mais três importantes pontos para a consolidação do nosso retorno à série "A". Não importa se não jogamos bem. O que verdadeiramente importa é que o nosso GLORIOSO VITÓRIA venceu o CRB por 1 X 0 e saímos de Maceió com a nossa classificação praticamente assegurada. Assumimos a vice-liderança e estamos somente a um ponto do líder Goiás. Agora é lotar o Barradão na próxima sexta-feira, 18h:30 (horário de Salvador), para nos vingarmos do São Caetano pelo que aconteceu no ano passado.

Revanche, seja lá o que for, queremos é ganhar dele e carimbarmos definitivamente o nosso passaporte para a primeira divisão de 2013. Dizem que gato escaldado tem medo de água fria, mas, com certeza, dessa vez não vai haver tremedeira, nem seu Zé Luiz da vida para nos atrapalhar. A vitória de ontem sobre o CRB, mesmo não jogando bem, serviu para recuperar a confiança dos jogadores e animar os torcedores para a festa de sexta-feira. Vamos pra cima do São Caetano Leões da Barra!

De acordo com as estatísticas divulgadas no site http://www.ecvitorianoticias.com (http://www.ecvitorianoticias.com/2012/10/resultados-e-classificacao-da-32-rodada.html), as probabilidades dos três primeiros colocados para a conquista do campeonato e subida para a série "A", depois da rodada de ontem, são, respectivamente: 74,65 e 99,98% para o Goiás; 17,2% e 99,4% para o Vitória; e 7,8% e 96,8% para o Criciúma. Aproveito para informar ao leitor Luiz Alberto que as estatísticas usadas no nosso artigo anterior (Amarelou, baladas, decepção, síndrome…) (http://www.ecvitorianoticias.com/2012/10/amarelou-baladas-decepcao-sindrome-por.html) são extraídas de fontes confiáveis e elas mudam de acordo com os resultados de cada rodada, porém fico muito feliz com os comentários de todos os leitores, principalmente com aqueles que discordam, pois nos levam a refletir sobre os diferentes pontos de vista.

Pois é meus amigos rubro-negros, as esperanças se renovam a cada momento. Esperamos que o foco, a raça, a humildade, a determinação, a vontade de vencer e a união e o espírito de equipe estejam presentes, de agora por diante, em todos os jogadores, comissão técnica, dirigentes e torcedores do LEÃO DA BARRA e que, com certeza, vamos lotar o NOSSO SANTUÁRIO nesta próxima sexta-feira (26/10), vamos vencer e convencer e dar mais um passo rumo à conquista da vaga na elite do futebol nacional e do título de CAMPEÃO BRASILEIRO DA SÉRIE "B" deste ano, CQC. ACREDITAMOS!!!

OLHA O ELEVADOR, SARDINHAS!!!

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Amarelou, baladas, decepção, síndrome…

Olá amigos rubro-negros!

São tantos os títulos que poderíamos dar a este texto, que ficou difícil escolher aquele que melhor, quero dizer pior, pudesse retratar a indignação da torcida rubro-negra que lotou o Barradão na tarde de sábado (20/10) para ver a decepcionante derrota, por 2 X 0, do VITÓRIA para o Atlético Paranaense. Um vexame! O que era para ser uma festa, mais uma vez se tornou um pesadelo.

Eis alguns dos possíveis títulos que deveríamos nomear este artigo:

A síndrome dos jogos decisivos.

Amarelou?

Os homens das baladas.

Que decepção!

Um caso pra Freud.

PCC e suas incoerências.

Mais uma tarde para a torcida esquecer.

A hora do pesadelo.

Problema de DNA, e tantos outros.

Num dos meus últimos textos escrevi que Eu vou subir, mas… justamente para reafirmar a nossa confiança na subida para a série "A". Naquela oportunidade ainda tínhamos uma maior probabilidade para a conquista do título, o que, agora, ficou mais difícil. De acordo com as estatísticas, o Goiás tem mais de 57% de chance de ser campeão, o Criciúma está com mais de 37% e o Vitória com quase 11%. Isso em virtude dos confrontos de cada um.

E o que aconteceu para esta queda? Conforme havíamos alertado, o time havia perdido o foco, a determinação, a vontade de vencer. Aliado a isso, passamos a conviver com as incoerências, as invenções , as "pardalices" de PCC. Ainda bem que a diretoria tomou mais uma atitude tempestiva, rescindindo o contrato do treinador. Isso veio confirmar as preocupações do colega Olavo Oliva que alertou na semana passada sobre o fato de PCC não ter mais a liderança sobre o grupo.

Podemos ainda ser campeões? Sim, podemos, contudo muitas coisas precisam ser feitas, principalmente quanto ao psicológico do grupo, ao tempo em que deve ser cobrado de alguns jogadores mais responsabilidade, mais comprometimento, mais atitude, mais raça, mais profissionalismo. Que deixem as baladas para depois da conquista do acesso e do título (ainda acredito).

É preciso que os jogadores se conscientizem que o time não é aquilo que eles pensam que é, e se não jogarem com muita vontade não vão ganhar pra ninguém. Eu, ou melhor, todos nós já havíamos chamado a atenção sobre isso. Tem que colocar o coração no bico da chuteira. Tem que ter humildade, muita raça e vontade de vencer.

Mais uma vez Ricardo Silva assume o comando técnico num momento delicado. Com certeza, novamente vai fazer prevalecer a qualidade do seu DNA de vencedor. Numa coisa ele já acertou quando declarou que precisa motivar os jogadores, pois qualidade técnica a grande maioria tem.

É preciso que todos tenham consciência de que um problema individual afeta o coletivo; que dois problemas individuais afetam ainda mais o coletivo; e que vários problemas individuais afetam totalmente o coletivo. Esta é a fórmula do insucesso, quando os problemas individuais não resolvidos contaminam o coletivo.

Para redefinirmos um novo caminho de sucesso será preciso tomar conhecimento dos números: no primeiro turno, ganhamos 44 pontos de 57 disputados, aproveitamento de 77,2% – o melhor do primeiro turno; já neste segundo turno, conseguimos somente 19 pontos de 36 disputados, performance de 52,8% – a sexta campanha; no campeonato como um todo, ganhamos até agora 63 pontos de 93 disputados, o que representa um aproveitamento de 67,7%. Faltam sete partidas a serem disputadas, vinte e um pontos. Agora é ganhar ou ganhar.

Nós torcedores estamos traumatizados. Todos nós estamos decepcionados. Quem chegou cedo aos arredores do Barradão no sábado pode participar da festa que a torcida fez desde o meio dia, armando verdadeiro acampamento, com barracas, sobreiros, gazebos, caixas térmicas, churrasqueiras, etc., tudo para se preparar para aquela que esperávamos ser a grande festa. Infelizmente eu já pressentia o pior e cheguei a comentar para algumas pessoas que achava que ia acontecer o mesmo do ano passado contra o São Caetano. Motivo? As incoerências e invenções de PCC estavam interferindo no psicológico do grupo. Dito e Certo.

Agora não adianta chorar sobre o leite derramado. É hora de união, humildade e equilíbrio psicológico de todos. Tomara que, mais uma vez, os jogadores se fechem em torno de Ricardo Silva que tem DNA de vencedor.

Terça-feira (23/10) já temos uma nova batalha, em Maceió, às 19h:30, contra o CRB (que luta para não ir para a zona de rebaixamento – é o primeiro fora). Ganhando, praticamente carimbamos o nosso passaporte para a primeira divisão de 2013. Porém, na sexta-feira (26/10), termos mais um jogo decisivo, de seis pontos, contra o São Caetano – A GRANDE REVANCHE.

Vamos ganhar para o CRB amanhã e recomeçar a nossa caminhada rumo ao retorno à série "A" e ao título.

VAMOS SER CAMPEÕES BRASILEIROS DA SÉRIE "B" ESTE ANO, CQC – AINDA ACREDITO.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

A fórmula do sucesso

Olá amigos rubro-negros!

Vocês vão desculpar a minha pretensão, mas, assistindo o jogo de ontem e revendo os meus textos anteriores, cheguei à conclusão que, assim como eu e muitos dos escribas VITORIANOS, já descobrimos, ou temos A FÓRMULA DO SUCESSO, ou seja, o caminho das pedras para o nosso GLORIOSO VITÓRIA ganhar seus jogos e ser CAMPEÃO BRASILEIRO DA SÉRIE "B" deste ano.

Assim como os novelistas, deixarei para revelá-la somente no final deste texto, no último capítulo. Antes, porém, faremos algum suspense e, gradativamente, deixaremos, nas entrelinhas, subliminarmente, detalhes para que os inteligentes leitores rubro-negros – por terem escolhido o LEÃO DA BARRA como o seu time, todos já deram prova dessa inteligência – possam identificar os componentes dessa fórmula.

Você foi ao Barradão ontem (16/10) ou assistiu o jogo pela televisão? Não importa onde você assistiu, pois na partida de ontem, quando o VITÓRIA venceu o ASA de Arapiraca-AL por 2 X 0, com gols, no segundo tempo, de Elton e Willie, pudemos ver um grupo com mais determinação, mais vontade de vencer, apesar da previsibilidade tática e pouco poder de criação no meio de campo.

Vimos uma torcida ansiosa pela marcação do primeiro gol, o que também estava visível nos jogadores à medida que o tempo ia passando. Sabíamos que era uma questão de tempo, pois, na raça e na vontade, o time continuava buscando fazer o resultado, que só veio no segundo tempo.

Parabéns ao grupo pela seriedade e respeito ao adversário, assim como por ter tido a humildade necessária para ultrapassar as dificuldades encontradas (não existe jogo fácil), as quais foram superadas pela garra, pela determinação, pela vontade de vencer e pelo retorno do sangue no olho, acreditando sempre que, fazendo a sua parte, mais cedo ou mais tarde o resultado positivo ia chegar.

Outro aspecto importante a ser destacado é quanto a tempestividade e acerto nas substituições, que aconteceram sem maiores PARDALICES. Acho até que Tartá poderia ter entrado, ao invés de Arthur Maia, mas esses são detalhes que ficam esquecidos em função do resultado.

E aí vocês, não aguentando mais de curiosidade, me perguntam: afinal de contas Seu Rocha, qual é mesmo a fórmula do sucesso? Respondo-lhes nobres companheiros de caminhadas, valorosos rubro-negros: TRABALHO, TRABALHO E TRABALHO…

Trabalho de todos, acompanhado de coerência da Comissão Técnica, harmonizando e dando equilíbrio (em especial o psicológico) aos jogadores e ao ambiente, com clareza nas estratégias e táticas (menos invenções); segurança, confiança e atitudes tempestivas dos dirigentes, proporcionando uma gestão de ganha-ganha e de reciprocidade; condicionamento físico, responsabilidade e a consciência da importância de cada um na busca do coletivo, que deve estar acima das vaidades e interesses individuais; por fim, como vimos na atitude dos jogadores depois do jogo de ontem, quando eles se reuniram e se abraçaram no meio do campo, demonstrando a união do grupo, agradecendo à torcida que os aplaudiu efusivamente, reconhecendo A VONTADE DE VENCER, O SANGUE NO OLHO, A RAÇA, GARRA E DETERMINAÇÃO, pois, somente com esses atributos, será possível obter os resultados positivos necessários que nos levarão à SÉRIE "A" e à CONQUISTA DO TÍTULO DA SÉRIE "B". Essa é A FÓRMULA DO SUCESSO.

Agora é utilizarmos tudo isso no difícil jogo do próximo sábado (20/10), às 16 horas, no Barradão, contra o Atlético Paranaense, numa partida de seis pontos e que pode garantir o nosso passaporte para a série "A" de 2013.

VAMOS LOTAR O NOSSO SANTUÁRIO!

VAMOS SER CAMPEÕES BRASILEIROS ESTE ANO, CQC.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Eu vou subir, MAS…

Olá amigos rubro-negros!

Eu vou subir, MAS o que vimos no jogo da tarde de sábado (13/10), no Estádio Durival de Britto, quando o Vitória perdeu para o Paraná por 3 X 1 nos deixou "deverasmente" preocupados. Por quê? Por que, ao invés do MAS (que deixou um gosto amargo na boca), eu queria MAIS… (sentimento de que muito mais poderia ser feito).

Queria MAIS comprometimento, queria MAIS garra, queria MAIS raça, queria MAIS determinação, queria MAIS atitude dos jogadores, da comissão técnica e da diretoria. Queria MAIS tudo e de todos.

Já cansamos de ouvir dos jogadores que foi um jogo para "a gente esquecer". Já cansamos de ouvir PCC dizer que "o time não jogou, que foi uma vergonha". Já estamos cansando de não ver ATITUDES tempestivas dos dirigentes.

E a pergunta que não quer calar, ou as perguntas que não querem calar: o que está acontecendo nos bastidores para que o time mude tanto de postura do primeiro para o segundo turno? Será problema de DNA? Será problema de liderança negativa? Será problema de pagamento ou não de "bichos"? Será problema de acerto do valor do prêmio pela conquista do título? Qual ou quais serão os problemas não resolvidos?

A diferença entre mas e MAIS é que o mas é para aqueles que estão satisfeitos com a mediocridade, com o simples, com o comum, com a falta de atitudes e o MAIS é para vencedores, para quem quer ser campeão, para quem tem sangue no olho, para quem quer passar para a história, para quem é especial, para quem pensa além, para quem pensa alto…

Um amigo (também Conselheiro) viajou à Coritiba para assistir o jogo contra o Paraná no mesmo avião do time do Vitória e, depois do jogo, encaminhou mensagem para um dos dirigentes do alto escalão rubro-negro externando suas preocupações quanto ao clima/motivação do grupo para o jogo contra o Paraná e sobre a conquista do título. Ele relatou que foi pedir aos jogadores que autografassem uma camisa do Leão da Barra para seu filho e que no momento da assinatura ele falava para os jogadores "assinem para o título", e, com exceção de Marquinhos, não sentiu entusiasmo do grupo. Mau sinal! Disse também que Carpegianni sentou na frente do avião e o grupo todo no fundo. Mau sinal!! Na hora do jogo, o que ele viu foi um bando em campo, jogadores sem nenhum comprometimento, técnico completamente confuso, time perdido e quase uma goleada!! O que está havendo? Já vi este filme antes, disse. Cuidado!!! Por fim, ele sugeriu ao dirigente para se reunir com o técnico e jogadores, em separado, e procurasse saber o que está ocorrendo. Disse mais: "Espero estar enganado, mas creio que o técnico perdeu o comando do grupo. Falta alma e entrega ao grupo e se você (dirigente) não intervir agora, as conseqüências podem ser tenebrosas".

Pois é meus amigos rubro-negros, a situação está complicada, MAS ainda é tempo de darmos a volta por cima. Ainda podemos conquistar esse título, porém precisamos de muito MAIS do que está sendo feito neste segundo turno. Precisamos de união. Precisamos de foco. Precisamos de muita determinação e atitude. Atitude de todos. União de todos.

Acreditamos e temos confiança nos jogadores, na comissão técnica e nos dirigentes. Estamos muito perto de fazermos história. O que passou, passou. Vamos, pela última vez, aprender com os nossos erros.

Vamos, daqui pra frente, colocar o coração no bico da chuteira, voltar a ter sangue no olho e vontade de vencer, vontade de ser CAMPEÃO.

Que venha o ASA, por que, amanhã, MAIS uma vez, vamos lotar o BARRADÃO, vencer e convencer, recuperando a confiança dos jogadores e torcedores e marchar, definitivamente, rumo ao tão sonhado título.

VAMOS SER CAMPEÕES ESTE ANO, CUSTE O QUE CUSTAR!!!

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Será que chegaremos lá? (*) Por Olavo Oliva

Olá amigos rubro-negros!

Muito atento acompanhei o jogo entre Criciúma X Ceará na sexta feira passada. Torcendo contra naturalmente. Secador em velocidade máxima!!.

Um fato me chamou a atenção: a entrega dos jogadores catarinenses na obtenção do resultado positivo desde o início da peleja. Para eles parecia que era a decisão da série B. Tanto é verdade que o gol da vitória importante sobre o clube cearense aconteceu aos 49 minutos do 2º tempo. No último lance. E não foi a 1ª vez que o Criciúma venceu ou empatou partidas no derradeiro minuto, no último momento antes de encerrar-se o espetáculo esportivo. Contra o América –RN, por exemplo, estavam perdendo por 3×1 até os 40 minutos do 2º tempo. E viraram para 4×3.

Será que é apenas sorte? Incompetência do adversário? Ajuda do juiz?

Fruto das minhas reflexões, afirmo categoricamente que não. Até porque a sorte não acompanha os incompetentes!

O time do Criciúma está focado no acesso à série A e no título da série B. Perseguem o resultado do início ao final da partida. Podem observar, gol só acontece nos minutos finais da partida quando a equipe vencedora está focada no seu objetivo.

Falando agora de Vitória: precisamos urgentemente mudar a nossa postura em campo se quisermos evitar que o time catarinense seja o campeão da série B. Tecnicamente e financeiramente não dá para comparar o Vitoria com o Criciúma, cujo orçamento para este ano é de apenas 15 milhões.

O tamanho da torcida e a expressão nacional são incomparáveis. Entretanto, futebol se ganha em campo, e nossa equipe não tem passado a confiança ao torcedor de que o título da série B são favas contadas. O torcedor não está satisfeito com o rendimento do time em campo. O esquema tático adotado por Carpegianni Teimoso ainda não deu os resultados que dê tranqüilidade em afirmamos: seremos campeões.

Observem que temos 80% de aproveitamento em jogos no Barradão, apesar disso, em nenhum dos jogos realizados na série B, o time se apresentou bem e o resultado em campo se traduziu em felicidade da torcida. Analisem: foram 11 vitórias, 02 empates e apenas uma derrota:

Vitória 1 x 0 ABC

Vitória 3 x 1 Goiás

Vitória 3 x 2 Boa

Vitória 2 x 2 Criciúma

Vitória 1 x 0 Barueri

Vitória 2 x 1 Joinville

Vitória 2 x 0 Guaratinguetá

Vitória 0 x 1 Bragantino

Vitória 1 x 0 CRB

Vitória 4 x 3 Paraná

Vitória 2 x 0 Avaí

Vitória 1 x 0 Guarani

Vitória 2 x 2 América-RN

Vitória 4 x 0 Ipatinga

Examinem cada jogo individualmente e respondam: em qual deles o Vitoria foi soberano, correspondendo por completo com atuação convincente em campo nos dois tempos da peleja? Na minha modesta opinião, em nenhum deles. Ou o time me agradava no 1º tempo ou melhorava no 2º tempo. Parece até o time treinado por Toninho Cerezzo (isola! pé-de-pato mangalou três vezes!!)

Diante desse cenário, resta torcer para que Carpegianni Teimoso modifique a estrutura tática do time, que a Diretoria chame os jogadores à responsabilidade, mostrando como o Criciúma está jogando com alma. E já ia esquecendo: Empreste Artur Maia e Léo para qualquer clube da série C, pois a paciência da torcida se esgotou com eles. Cadê Eduardo Ramos?.

CASO CONTRÁRIO O ACESSO VIRÁ, MAS A FESTA TÃO DESEJADA DO TORCEDOR NÃO SERÁ COMPLETA.

(*) Olavo Oliva é Bel. em Direito, Auditor Fiscal e Conselheiro do ECVitória.

O coração no bico da chuteira

Olá amigos rubro-negros!

Vou começar o meu texto desta semana, mandando uma mensagem sugestiva, objetiva e ao mesmo tempo subliminar para os jogadores, comissão técnica e dirigentes do nosso GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA. Mais que uma mensagem, é um chamamento à tomada de consciência do caminho andado até aqui e do que falta a percorrer.

Somos líderes da competição com sessenta (60) pontos ganhos de oitenta e quatro (84) disputados,  o que nos dá um aproveitamento superior a setenta e um por cento (71,4%); já disputamos vinte e oito (28) partidas de um total de trinta e oito (38), o que representa quase setenta e quatro (73,7%), ou seja, faltam ser disputados somente dez (10) jogos, trinta (30) pontos, o que corresponde a pouco mais de vinte e seis por cento (26,3%) para o final do Campeonato Brasileiro da série “B” deste ano. Se ganharmos quinze (15) pontos dos trinta (30) que faltam ser disputados, certamente seremos campeões.

Entretanto, para batermos todos os recordes da era dos pontos corridos, precisamos ganhar mais vinte e seis (26) pontos dos trinta (30) que ainda faltam disputar – o Corinthians fez oitenta e cinco (85) pontos em 2008 (74,5% de aproveitamento).

Portanto, a maior parte do caminho já foi percorrida e de forma brilhante. No primeiro turno, conseguimos ter a melhor performance da história dos pontos corridos (77,2% de aproveitamento). E o que é que temos que fazer daqui prá frente? AGORA É HORA DE COLOCAR O CORAÇÃO NO BICO DA CHUTEIRA. É hora de cada um contribuir com todas as suas forças para escrever seu nome na história. É hora de tomar consciência que estamos muito perto de conquistar algo inédito. É hora de jogar cada partida como se fosse a decisão do campeonato, o que é uma verdade. AGORA É HORA DA ONÇA BEBER ÁGUA.

Os outro times se fortaleceram e se ajustaram. Todos estão em busca dos seus objetivos e canalizarão suas energias a depender da situação em que se encontram. Não existe galinha morta nesta competição. Por isso é que, daqui pra frente, em cada jogo, os nossos craques deverão correr, lutar, jogar pra pirão do primeiro ao último minuto do jogo. O detalhe fez, faz e fará sempre a diferença. Como exemplo podemos citar o jogo contra o ABC pela Copa do Brasil, quando perdíamos por 2 X 0 e conseguimos virar o placar para 3 X 2 nos últimos dez (10) minutos, com três gols de Neto Baiano. Outro exemplo foi o jogo de sexta-feira passada, quando o Criciúma fez o gol da vitória de 2 X 1 sobre o Ceará no último minuto da partida.

Enquanto as outras equipes lutam para não cair (uma parte) e outras para chegarem perto de onde estamos, nós só precisamos manter a pegada, manter o foco, ter garra, raça e muita determinação para fazer por merecer tudo que está próximo de ganharmos. Para isso, temos que dar um passo de cada vez. Temos que concentrar todos os nossos esforços no próximo jogo, pois é vivendo intensamente e com qualidade o presente que construímos o futuro. E o futuro que vislumbramos é brilhante, é inédito, é histórico.

VAMOS GANHAR PARA O PARANÁ NO PRÓXIMO SÁBADO.

VAMOS TODOS ESCREVER O NOSSO NOME NA HISTÓRIA.

VAMOS SER CAMPEÕES BRASILEIROS DA SÉRIE “B” DESTE ANO.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Leão, chega de dieta, é hora de acumular gordura novamente. (*) Por Pedro Dórea

Olá amigos rubro-negros!

Os resultados da rodada de terça-feira, embora previsíveis, foram desfavoráveis ao Vitória. Talvez na sexta-feira percamos temporariamente a liderança, pois o Criciúma também deverá fazer seu dever de casa e vencer o Ceará.

Mas isso não representará maiores problemas. Se o Vitória jogar com RAÇA, SERIEDADE E DETERMINAÇÃO, deverá vencer sem maiores dificuldades o time do ABC, retomando a liderança (apertada) do campeonato e seguindo na sua jornada rumo a Série "A" e ao Título da Série "B".

Já passou da hora do Vitória reagir neste segundo turno. Não poderemos mais aceitar desculpas de qualquer natureza. Quem não cumpre bem a sua obrigação merece receber pressão.

Estamos jogando uma partida por semana, a Comissão Técnica tem tempo para treinar as jogadas e escolher a melhor escalação possível, pois atualmente temos um bom e competitivo elenco e várias opções no plantel.

Não é possível cobrar mais apoio da torcida, que por certo mais uma vez estará lá no sábado, fazendo festa, vibrando intensamente e incentivando o time do início ao fim, MAS É NECESSÁRIO QUE OS JOGADORES SEJAM APLICADOS NA BUSCA DA VITÓRIA DO INÍCIO AO FIM DA PARTIDA.

Nada está conquistado, nossa gordura foi bobamente queimada em jogos fáceis, não é hora de relaxar, é hora de fazer HISTÓRIA, de voltar a acumular pontos para garantirmos o acesso.

Não tem essa de que oito pontos bastam para a subida, temos ainda trinta e três pontos a disputar, vamos buscar conquistar o máximo possível para garantir logo a subida para a série A.

Se o time for profissional, ambicioso, ousado, determinado e com espírito vencedor, deverá continuar lutando para conquistar o título da Série "B", sem maiores estrelismos. Esse titulo nacional será muito importante para a história do nosso clube, seus jogadores, a comissão técnica, a diretoria e para a torcida do glorioso Vitória.

Precisamos voltar a acumular gorduras, APETITE VORAZ LEÃO… chega de dieta.

(*) Pedro Dórea é Bel. em Direito e Conselheiro do ECVitória.

Identificando problemas, sugerindo soluções

Olá amigos rubro-negros!

Como já disse em textos anteriores, não gosto de elogiar ou criticar esse ou aquele jogador pelo seu desempenho num jogo. As vezes o faço quando há um grande destaque, ou um outro que destoa do grupo. Tenho procurado, quase sempre, avaliar o coletivo, o grupo, a equipe. Na semana passada, elogiei nominalmente quase todo o elenco e fiz o destaque negativo para um jogador. Se fosse fazer o mesmo nesta semana, analisando o jogo da tarde de sábado (29), quando o VITÓRIA perdeu para o Avaí por 2 x 0, o faria justamente o contrário, ou melhor, teria dificuldade em nominar quem jogou bem (não vi nenhum) e, negativamente, relacionaria o time todo, que jogou abaixo da média. Foi uma tarde para se esquecer e aprender com os erros.

Os jogadores disseram, depois do jogo, que “perdemos na hora que podíamos”. PCC ratificou, fazendo uma leitura igual a minha: ninguém jogou, faltou vontade, faltou garra, faltou foco, faltou atitude… Atitude é tudo, assim escrevi na semana passada. E o que aconteceu, quais os problemas que motivaram essa mudança de postura de um jogo para outro, de uma semana para outra?

Na minha caminhada de vida, sempre busquei ter o foco na solução. Problemas aparecem para serem identificados e solucionados. E rápido, pois quando deixamos de tomar uma atitude em determinado momento, de solucionar um pequeno problema, este toma corpo e se transforma num problemão, exigindo um esforço redobrado para solucioná-lo. Não devemos deixar que um problema se torne recorrente, pois aí, você (gestor/dirigente) é quem passa a sê-lo.

“O jogo é jogado e lambari é pescado”, assim fala a sabedoria popular. Vou continuar sem dar nome aos bois, pois todos nós sabemos quem é quem nessa pendenga. As vezes fico me perguntando: como é que uma erva daninha pode “pestiar” todo um jardim? Basta o jardineiro deixar (???). A escolha do líder/capitão é também muito importante e Pedro Ken tem demonstrado a regularidade e o equilíbrio necessários para sê-lo, dentro e fora do campo.

Devemos observar também que precisamos ter coerência e passar estabilidade e harmonia ao grupo, pois continuamos na liderança, com dois pontos na frente do Criciúma e cinco do Goiás.

Os nossos próximos jogos são: contra o ABC, no Barradão, no próximo sábado (06/10), às dezesseis (16) horas; no dia 13/10 (sábado), às 16 horas, contra Paraná, no Estádio Durival de Brito (Vila Capanema), em Curitiba-PR; e, novamente no Barradão, no dia 16/10 (terça-feira), às 19:30 horas, contra o Asa de Arapiraca-AL. Ganhando esses três jogos (nove pontos – chegaremos a sessenta e seis pontos), asseguraremos, matematicamente, o nosso retorno à série “A” e daremos um grande passo rumo a conquista deste CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE “B”.

E o que precisamos? O que já dissemos: HARMONIA, HUMILDADE, ATITUDE, FOCO, RAÇA E DETERMINAÇÃO.

VAMOS SER CAMPEÕES BRASILEIROS ESTE ANO, CQC.

VAMOS QUE VAMOS VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

%d blogueiros gostam disto: