Arquivo mensal: outubro 2014

Zona? Nunca mais!

Olá amigos rubro-negros!

Ufa! Saímos da zona. Que sufoco! Esperamos nunca mais retornar. E qual a lição que tiramos de tudo isso? Que futebol, além da qualidade técnica, se ganha com raça, determinação, sangue no olho e muita vontade de vencer. Somente assim, poderemos superar as dificuldades e limitações. Cada jogo foi, é e será sempre uma batalha única a ser combatida e vencida se assim o fizer por merecer. A bola não entra por acaso e eu não me canso de repetir os mesmos bordões. E porque isto? Para que seja entendido por quem de direito que as coisas podem ser simples ou complexas, dependendo da nossa consciência e ângulo de visão. O sábio é simples…

Mas “sêo minino” o que é que isso tudo tem a ver com o nosso GLORIOSO e sofrido ECVITÓRIA? Respondo-lhes: tudo! Explico-lhes: uma equipe sempre vai precisar estar afinada, seja ela de futebol, música, finanças, etc. Precisa ser e estar qualificada para o seu mister. Precisa ser e estar treinada, liderada, integrada, preparada e muitos outros “adas” mais para ser vencedora. Tudo isso é óbvio e ululante. É chover no molhado, mas é necessário.

O momento é difícil e delicado e necessita de muito trabalho, união, humildade, comprometimento, confiança e equilíbrio psicológico coletivo. Todos temos que nos unir numa corrente positiva para nos distanciarmos dessa zona maldita e nunca mais retornar.

Para cada jogo o time deverá ter uma estratégia específica. Ser menos previsível e ter a consciência que qualquer ponto conquistado será melhor que nada, pois até os jogos dentro de casa serão pedreiras. Nós (e ninguém) não teremos nenhum jogo fácil. São sete ossos duros de roer. LEÃO mostre a sua garra! Jogadores sejam guerreiros. Defendam com unas e dentes as nossas cores.

Pois é meus amigos, suamos e sofremos para ganhar do lanterna do campeonato dentro do nosso SANTUÁRIO no sábado passado (25/10). Atendendo ao pedido da nossa amiga/conselheira Flávia, digo-lhes que, graças a Pelédno, estamos vivos na competição, pois a vitória de 3 X 1 sobre o Criciúma reacendeu nossas esperanças em permanecermos na elite do futebol brasileiro.

Minha preocupação é que a boa partida feita pelo time, em especial Wilson (novamente), José Welisson e principalmente Edno, não deixe os jogadores mascarados e se achando, pelo contrário, que os façam mais conscientes das dificuldades que encontrarão em cada um dos sete últimos jogos (três em casa e quatro fora). No próximo sábado (01/11 – 18h:30/SSA) os LEÕES enfrentarão a maior pedreira que é o Grêmio na sua Arena. Toda cautela será pouca, mas EU ACREDITO!!!

ZONA? NUNCA MAIS!

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Anúncios

Falta humildade…

Olá amigos rubro-negros!

Ney Franco é um caso perdido! Para ele é oito ou oitenta. É uma no cravo e dez na ferradura. Falta humildade e sobra maluquice. Dizem que a unanimidade é burra, mas, no caso dele, toda semana é a mesma coisa, está indo direto para a frigideira. Ele não quer um ponto. Ou três ou nada. Resultado: nada, nada, nada… São pontinhos perdidos (um a um) que estão fazendo e farão muita falta.

Eu não gosto de ficar citando nomes nos meus textos, pois, se num dia você elogia, no outro é obrigado a criticar, porém hoje vou abrir algumas exceções. Achar que um empate suado, graças aos milagres do goleiro Wilson, não vale nada, ainda mais diante do líder do campeonato, é muita falta de humildade ou muita maluquice, entretanto no caso de NF eu acho que são os dois. Tirar Luiz Gustavo e colocar Pica Pau num momento crucial do jogo não tem explicação, da mesma forma que colocar Marcos Junior em campo é de doer. Com isto eu não estou dizendo que não era para Pica Pau entrar, mas nunca no lugar de Luiz Gustavo. Tirava o inoperante Marcos Junior que não devia nem ter entrado. Enfim, a derrota para o Cruzeiro (1 X 0), ontem (19/10 – 17h30), no Barradão, deve ser creditada (o débito) ao Sr. Franco Atirador, Maluco Franco…

A maioria da torcida presente ao Barradão (mais de vinte mil) já estava satisfeita com o empate, pois via um time do Cruzeiro superior ao do ECVitória. Mas não, “sêo” Ney tinha que inventar!!!

Pois é meus amigos, se a coisa estava difícil, cada dia está ficando mais. Por mais que torçamos, que tenhamos esperança, que acreditemos, temos que por os pés no chão e ver que a situação do meu, do seu, do nosso GLORIOSO VITÓRIA está ficando desesperadora.

Aproveito para citar alguns ditos populares que condizem com o que estamos passando:

1- Humildade e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

2- A esperança é a última que morre.

3- Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.

4- Manda quem pode, obedece que tem juízo.

5- O homem prevenido vale por dois.

6- Águas passadas não movem moinho.

7- Deus dá o frio conforme o cobertor.

8- Para bom entendedor meia palavra basta.

9- Mais vale prevenir que remediar.

10- De grão em grão a galinha enche o papo

A vida continua. Nada melhor que um dia após o outro.

Na próxima quarta-feira (22/10 – 18h30/SSA), em Cuiabá (Arena Pantanal), teremos outra pedreira pela frente: Corinthians. Está difícil continuar acreditando, mas…

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Fotos 19/10

Passo a passo.

Olá amigos rubro-negros!

O primeiro passo foi dado. Saímos da zona maldita e o jahia voltou. É agora ou nunca (It’s now or never). Com fé em Deus, saímos para não mais voltarmos. Foi um jogo de entrega. Foram três pontos superimportantes. Vencer o Sport (2 X1) dentro da Ilha do Retiro foi, é e será sempre uma difícil missão. Valeu pela entrega e determinação dos jogadores. É como a gente tem dito: somente com muita raça, disciplina tática, sangue no olho e vontade de vencer, o time poderá superar as dificuldades e limitações.

Agora é continuar indo em frente. Seguir na caminhada passo a passo, pois no próximo domingo (19/10 – 17h:30), no nosso Santuário, iremos enfrentar o líder Cruzeiro. Tenho confiança num resultado positivo. Vamos fazer a nossa parte, comparecendo em massa ao Barradão. Antes, na quinta-feira (16/10 – 19h:15), terá a partida de volta das oitavas de final da Copa Sul- Americana 2014, quando o nosso GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA enfrentará o Atlético Nacional da Colômbia, no Barradão.

Faltam dez (10) jogos, trinta (30) pontos. A hora é de fazer conta. Precisamos, no mínimo, ganhar cinco partidas (quinze pontos para). São cinco jogos em casa e cinco fora. Não tem jogo fácil. Cada partida será decisiva. Há muito tem sido e continuará sendo. É colocar o coração no bico da chuteira.

De acordo com as estatísticas, estamos com quarenta e nove por cento (49%) de probabilidade de ser rebaixado. Na semana passada esse percentual era de sessenta e nove (69%). Por isso devemos estar procurando sempre ampliar as nossas chances de permanecer na elite do futebol brasileiro. Fazendo o dever de casa e conquistando pontos importantes fora, como aconteceu ontem (12/10), chegaremos lá.

Eu acredito!

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

PPP.

Olá amigos rubro-negros!

Na quarta-feira passada (08/10) foi aniversário do Presidente do Esporte Clube Vitória, Carlos Falcão. Muitos amigos e Conselheiros participaram de um almoço surpresa num restaurante em Patamares. Compareceram mais de cem pessoas. Faço um parêntese para ressaltar que os presentes, independentes de serem Conselheiros ou não, são amigos pessoais do aniversariante, não tendo nada a ver com a campanha ou colocação do time no campeonato. E outra coisa, foi um almoço de adesão e cada um pagou o seu. Falo isso tudo para dizer que “uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”

Assim como falei para ele (Falcão) antes do BAVI, que o título do meu artigo seria “Ney Franco Vence seu primeiro baVI”, como o foi, disse também no seu aniversário que o título do meu texto depois do jogo contra o Goiás seria “PPP – Presente Para o Presidente”, dando como certa a vitória, o que quase aconteceu, não fossem: (1) Vinícius perder mais um gol feito e (2) Ney Franco fazer substituições atrapalhadas e o time cometer mais um (dois) dos seus costumeiros vacilos. Para não deixar de cumprir o prometido, escrevo este texto com as iniciais (sigla) do que seria o título vitorioso, e que foi mantido até os vinte e oito minutos do segundo tempo, tendo que fazer um verdadeiro “trocadalho do carilho” para manter a palavra, porém o PPP agora passou a ter outros significados, quais sejam:

PPP1 – Perdendo Preciosos Pontos: Alguns pontos perdidos anteriormente seriam ou poderiam ser até esquecidos (vide o texto “Se”), mas, jogando como estava jogando o primeiro tempo, ganhando até com certa facilidade por 2 X 0, quando sêo Vinícius poderia ter matado o jogo, permitir que o Goiás empatasse em três minutos, em duas jogadas bobas, foi demais. Esses pontos, além de dificilmente serem esquecidos, farão uma enorme falta na luta contra o rebaixamento. Se já estava difícil, agora está mais que difícil, está dificílimo.

PPP2 – Paulo Perdeu a Paciência: Paulo Carneiro escreveu no seu twitter que o Presidente Falcão, ao invés de ir almoçar com amigos e Conselheiros, deveria ter ido almoçar com o time. Bobagem de quem não sabe mais o que falar ou fazer…

PPP3 – Partida Praticamente Positiva: Ney Franco, mais uma vez, perdeu sua pouca humildade e, ao invés de simplificar, trocando seis por meia dúzia, fez uma série de atrapalhadas, sendo escolhido para ir para a “frigideira” na Rádio Sociedade e unanimemente pela torcida.

Para não dizer que não falei das flores, poderia continuar descrevendo sobre outros inúmeros PPP, porém somente os cito:

PPP4 – Pacto Por Pontos.

PPP5 – Progresso Passo a Passo.

PPP6 – Promessa Para a Plenitude.

PPP7 – Permitir Possibilidade de Projeção.

PPP8 – Projeto Para a Posteridade.

PPP9 – Perseverança, Paz e Poder.

PPP10 – Prometer Parceria e Pontos.

PPP11 – Pedir Perdão e Piedade.

PPP12 – Poucas Palavras e Prosseguir.

PPP13 – Paciência, Padrão e prosperidade.

PPP14 – Plantar, Ponderar e Praticar.

PPP15 – Povoar o Pensamento no Positivo…

Que possamos ganhar os três pontos contra o Sport em Recife no próximo domingo (12/10 – 18h:30).

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Estou sorumbático. Por Pedro Dórea*

Prezados rubro-negros:

Estou sorumbático! A situação do nosso Vitória está realmente muito difícil. Ontem (08/10 – Barradão, 21h), na partida contra o Goiás (2 X 2), até que o time jogou bem, mas novamente vacilou DE FORMA IMPERDOÁVEL.

Os jogadores e a comissão técnica precisam entender que o fundamental agora é VENCER, jogando bem ou mal, a essa altura do campeonato pouco importa a forma de jogar, ganhar os três pontos É O ÚNICO RESULTADO QUE INTERESSA.

Em nada nos consola declarações de que o time jogou bem e PERDER PONTOS PRECIOSOS EM CASA, principalmente depois de estar vencendo a partida com certa facilidade, pois o Goiás estava completamente dominado em campo.

Da mesma forma que ocorreu em outras partidas, ontem também entregamos bobamente o resultado. Os gols tomados no intervalo de três minutos foram objeto de falhas e extrema desatenção da equipe. E ISSO NÃO PODE OCORRER.

Diferente de outros clubes que estão na primeira Divisão, o Esporte Clube Vitória vem honrando a duras penas os seus compromissos financeiros com os atletas e com a Comissão técnica, com os salários e obrigações patronais em dia. A Comissão técnica, por sua vez, planeja um sistema de rodízios, leiam-se folgas (em minha opinião, DESMERECIDAS), para os atletas não se desgastarem excessivamente nas duas competições que disputamos (Brasileiro e Sulamericana).

Interessante é que o time “misto” tem sido mais eficaz do que o dito time “principal”, pelo menos nos quesitos de dedicação, raça e resultados obtidos.

O que novamente ocorreu ontem, NÃO PODE MAIS ACONTECER SOB PENA DE SERMOS REBAIXADOS DE DIVISÃO e aí os prejuízos serão enormes para o clube. Os jogadores e a Comissão Técnica têm que entender que o jogo só acaba quando termina e não há partida ganha, nem perdida, antes do apito final do juiz.

O time tem que entrar ligado em 220 volts o tempo inteiro. Ontem, o técnico até escalou bem, mas mexeu muito mal, tal como havia feito na partida contra o Galo em que ele tirou Kadu e o time desandou, deixando escapar a chance do empate fora de casa. Ontem perdemos mais dois preciosos pontos, só que em casa e para um adversário direto contra o famigerado rebaixamento.

As substituições feitas por Ney Franco não foram boas, nosso ídolo e dedicado Escudero, de tanto ser poupado, está visivelmente sem ritmo de jogo; Adriano tem falhado muito na marcação e complicado o time em momentos essenciais da partida. Ontem foi mais uma delas (se esse Adriano fosse atleta da nossa base, já tinha sido defenestrado pela Comissão Técnica e por parte de nossa torcida); e alguém precisa avisar ao fominha do Pica Pau que futebol é jogado coletivamente, até porque ele não é o craque que pensa que é. Com ele perdemos chances de contra ataques que poderiam nos dar a Vitória.

Lamentavelmente, com Ney Franco tem sido assim, uma no cravo e três na ferradura. Mas, apesar de tudo, ainda há um resquício de esperança de que ao final tudo dará certo, afinal de contas ainda temos chances, mesmo que remotas. O Esporte Clube Vitória é um clube grande e estruturado que honra com seus compromissos com os atletas e com a Comissão Técnica e, o MÍNIMO que eles AINDA podem fazer é se dedicarem ao MÁXIMO para MANTER O VITÓRIA NA PRIMEIRA DIVISÃO. PRECISAMOS EXIGIR ISSO DA COMISSÃO TÉCNICA E DOS JOGADORES.

Mais uma vez desabafo: Estou sorumbático!!!

Vamos à luta, pois sem luta não há VITÓRIAS e precisamos mais do que nunca delas.

*Pedro Dórea é Bel. em Direito e Conselheiro do ECVitória

Mais fotos!

Conselheiros comemoram o aniversário do Presidente Falcão no Baita Tchê

A dois passos do paraíso.

Olá amigos rubro-negros!

Penamos, mas vencemos! Na situação em que se encontra o nosso GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA, mais importante que jogar bem, é vencer, é ganhar pontos para sair da zona maldita.

Na vitória, por 2 X 1, contra o Botafogo, nesse sábado (04/10 – 16h:20/Barradão), o time rubro-negro não fez um bom primeiro tempo e só não saiu atrás no placar graças às defesas e a sorte de Gatito Fernandez. Voltou para o segundo tempo com Cárceres e com outra postura, principalmente Marcinho que esteve numa tarde inspirada, confirmando a máxima de que o que faz a diferença em um elenco mediano é a humildade, a vontade de vencer, a garra, a determinação, o sangue no olho – repetimos isto quase todas as semanas.

Chegamos aos vinte e sete pontos, primeiro do “Z4” (17ª colocação), e estamos a dois passos do paraíso. Olha o “Se” aí de novo: se tivéssemos empatado as duas partidas em que Juan perdeu os pênaltis, estaríamos fora da zona do rebaixamento.

Para chegarmos ao paraíso é preciso fazer por merecer. É preciso colocar o coração no bico da chuteira. É preciso jogar cada partida como se fosse a última e decisiva. Já vimos que o time supostamente “reserva” vem jogando prá pirão; o mesmo tem que ser feito com o time “principal”. Nome não ganha jogo. Ninguém deve dormir sobre os louros do passado. Isso nos levou à derrocada do primeiro semestre.

Sabemos que só sair da zona maldita não basta. Temos que nos distanciar, e muito, dela. Temos que ganhar os pontos dentro de casa e alguns “muitos” fora dela.

Na próxima quarta-feira (08/10 – 21hs), jogaremos contra a forte equipe do Goiás (10º colocado com 33pts) dentro do nosso Santuário. Vamos incentivar o time, fazer a nossa parte e torcer para que os jogadores que entrarem em campo, o façam de coração e alma na busca desses importantes três pontos, pois continuamos na boca do inferno e a dois passos do paraíso.

Aproveito para mandar um abraço para Antônio Nogueira, colega da Sefaz de Itabuna que, sem me conhecer, disse-me que há muito tempo lê e gosta dos nossos textos. Procuro escrevê-los com a paixão de um verdadeiro rubro-negro e a alma de um sonhador.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

%d blogueiros gostam disto: