Arquivo mensal: maio 2012

Um leão a cada dia

Pois é amigos rubro-negros, foi dada a largada! Começamos bem. Vencer a primeira partida, contra o Barueri, por 1 X 0, fora de casa, foi fundamental. Agora é focar no jogo da próxima quarta-feira, contra o Coritiba pela Copa do Brasil. Será um jogo de paciência. Qualquer empate com gols nos dá a classificação para a próxima fase. Estamos confiantes num resultado positivo. O time está se ajustando. E o melhor é que também está se disciplinando taticamente. Estamos vendo sobriedade e maturidade no elenco e na comissão técnica. Carpegianni chegou demonstrando sabedoria, reconhecendo o valor do grupo e, em especial, de Ricardo Silva. Isso é bom, pois era o que nos preocupava.

Fazendo um trocadilho, O sucesso do Leão da Barra na corrida para a série “A”, assim como na Copa do Brasil, depende do seu apetite, pois ele precisa matar um leão a cada dia. Nessa trajetória, maturidade é fundamental.

Alguns colegas me perguntaram, no sábado, antes da partida contra o Barueri, qual seria o meu palpite para o jogo? Respondi que 1 X 0 seria ótimo. E assim o foi. Que o time continue se ajustando. Que a diretoria contrate laterais. Que os jogadores contratados que ainda não jogaram correspondam às expectativas. E, principalmente, que o nosso GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA use para a SUBIR para a série “A” o mesmo elevador que os sardinhas usarão para DESCER.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Anúncios

Carpe diem e Carpegianni

Olá amigos rubro-negros!

Escrevi, em 23/04/2012, codificado, em “O lado bom das coisas”, a expressão Carpe diem, aproveite o momento. Naquela oportunidade, queria dizer que sabia (O disse para vários colegas) que, assim que terminasse o campeonato baiano, o técnico do ECVitória seria o Paulo Cesar Carpegianni, o que foi confirmado ontem à noite (15/05). Será bom ou ruim para o time? Não sabemos. Só o tempo dirá, porém, como também disse esta semana e em outras oportunidades, os jogadores do Leão da Barra sempre fecham e se motivam com Ricardo Silva, dando um “algo mais”, o que muitas vezes tem feito a diferença. Foi assim também, em parte, com Benazzi. Entretanto, como Ricardo Silva vai continuar como coordenador técnico e tem um bom relacionamento com Carpegianni, esperamos que os atletas continuem com a mesma motivação. Ouvimos ontem e hoje muitas manifestações contrárias à contratação (a peso de ouro) de PC Carpegianni. É, talvez, a última cartada do já desgastado presidente Alexi Portela. Que os anjos digam amém e que tenhamos resultados positivos na Copa do Brasil e retornemos à série “A” – é o que todos nós rubro-negros desejamos.

Mudando de assunto, recebí, ontem (15), um comentário/depoimento do parceiro de Barradão, amigo e fervoroso RUBRO-NEGRO PRADO, em que relata, de forma emocionante, os momentos, pós BAVI de domingo, vividos por ele e pela sua linda e maravilhosa filha de dez anos, TORCEDORA SÍMBOLO DO GLORIOSO VITÓRIA, a nossa querida JADE, para a qual, nesta oportunidade, faço a minha homenagem em nome de toda a NAÇÃO RUBRO-NEGRA, elegendo-a como TAL. Compartilho, a seguir, APLAUDINDO DE PÉ, o emocionante depoimento:

Amigo Rocha, boa tarde!

Deixei passar um pouco a minha decepção e a tristeza e resolvi postar este singelo comentário/testemunho.

O último domingo (13/05), que era para ser o nosso dia, infelizmente não foi! Perdemos o título do baiano para o nosso maior adversário do passado. Sim, PASSADO! Nos últimos anos não nos meteu medo e continua sem meter, “lá ele”! Hoje, o maior adversário do Vitória é ele mesmo!

Apesar do resultado não ter sido favorável ao Vitória, até como consolo, podemos dizer que os nossos guerreiros, liderados pelo Neto Baiano (odiado por alguns e amado por outros), demonstraram (a meu ver) que temos um TIME e que temos jogadores com coração e amor ao nosso Leão, o que nos dá a esperança, mais uma vez, que podemos acreditar numa subida a série A! É bem verdade que temos algumas carências, p. ex, nas laterais.

Mesmo com esta constatação e sabendo que neste momento, o apoio dos torcedores é importantíssimo para o nosso Leão, havia decidido dar um tempo nas minhas idas ao nosso santuário. Decisão esta, tomada por um fato que me deixou muito chateado e reflexivo. Ao chegar a minha residência, encontrei a minha filha Jade, de 10 anos, rubro-negra de coração e companheira de TODOS os jogos no barradão, triste, chorosa… . Ela havia sido "zoada" na escola, pelos seus coleguinhas torcedores dos sardinhas, com a mesma babaquice de sempre, a do VICEtoria. Fiquei muito triste, preocupado e pensado em evitar qualquer tipo de trauma, tomei a decisão de ”dar um tempo" para que a mesma pudesse assimilar melhor o golpe. Ao acordar no dia de hoje, para a minha surpresa, fui abordado por ela com a seguinte pergunta: Pai, com que camisa nós vamos ao jogo de amanhã? Eu retruquei… Filha, nós não vamos! Eu não quero ver você mais triste por conta de futebol! E veio a replica… Pai, já passou!

Para mim, estes episódios servem para que nós rubro-negros, juntemos os cacos, mais uma vez, e de cabeça erguida, continuemos a apoiar o nosso leão e a cobrar dos nossos dirigentes aquilo que for necessário para recolocar o nosso VITÓRIA no seu devido lugar.

MORAL DA HISTÓRIA: Estaremos, eu e ela, mais uma vez no BARRALUXO, nosso santuário, apoiando, incentivando e cobrando, de quem for necessário, o respeito ao leão!

Prá cima deles LEÃO!

Um grande abraço,

Prado (muito mais Rubro-Negro)

VALEU PRADO! VALEU JADE!

VALEU VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Por que no dia do 113º aniversário do Vitória? Por Pedro Dorea*

Por que no dia do 113º aniversário do Vitória, entregamos o campeonato baiano a um adversário que não sabia o que era um título há 11 anos?

Não creio que devamos buscar culpados, mas sim responsáveis pelos recentes fracassos do Vitória como instituição. A perda do título do campeonato baiano de 2012 não pode, nem deve, ser vista como fato isolado.

Em um clube de futebol profissional que pretende ser respeitado no cenário local, nacional e internacional, como o Esporte Clube Vitória, os responsáveis, em primeira e principal instância, são seus dirigentes e também os conselheiros, dentre os quais me incluo.

São os dirigentes que elaboram o planejamento do futebol profissional no clube e apresentam ao Conselho que referenda o orçamento apresentado para executar o planejamento com a previsão de receitas e despesas do Clube para o exercício.

São os dirigentes que aceitam indicações e efetivam contratações de jogadores oriundas de parlamentares, empresários, conselheiros, lobistas, palpiteiros e radialistas, que ou nada entendem de futebol ou só analisam seus próprios interesses comerciais, muitas vezes causando enormes prejuízos ao clube. Basta relacionar os nomes dos jogadores não utilizados, embora religiosamente pagos pelo Vitória, que daria para formar um outro time.

De fato, nos últimos anos, o futebol profissional do Esporte Clube Vitória vem colecionando fracassos e humilhações acachapantes (rebaixamento de divisão, perdas injustificáveis de títulos baianos, derrotas incríveis dentro do Barradão, jogadores manifestando publicamente insatisfações com o clube, noticias de motim de atletas, enfim, problemas dos mais diversos na gestão de futebol profissional do clube).

Nos últimos tempos temos vivenciado momentos de enormes tristezas, incertezas e decepções causadas pelos últimos resultados aos torcedores mais fieis e o afastamento daqueles torcedores mais episódicos do Vitória.

O efeito danoso sobre as crianças e jovens torcedores do Vitória também é inevitável, pois percebo a vergonha das crianças no Barradão não pelas derrotas, mas pela forma que estamos sendo derrotados ultimamente. Os dirigentes do Vitória precisam tratar melhor os jovens torcedores, voltando faze-los sonhar de novo com um time que lhes dê orgulho.

Ora, se os responsáveis por este estado de coisas existem e estão devidamente identificados (os dirigentes) o que está sendo feito por eles para modificar tal situação?

A participação do Conselho Deliberativo do Vitória precisa ser mais demandada pelos atuais dirigentes. Lamentavelmente, os mandatários do clube tem se cercado de pessoas com posição pouco vanguardista no clube e não parecem entender que o futebol evoluiu e, como tudo na vida, se profissionalizou.

Estamos ficando para trás de forma muito rápida e tudo o que foi conquistado pelo clube, inclusive sob a gestão do atual presidente, ficará maculado pelos recentes e sucessivos fracassos do time de futebol.

Já me manifestei várias vezes sobre o notório desgaste do atual Presidente Alexi Portela, que, reafirmo, é uma pessoa séria e de bem, mas que não consegue exercer mais sua liderança plena sobre os destinos do clube.

Ao que parece, ele e seus seguidores não conseguiram enxergar que as mudanças no comando do clube são urgentes. Se não forem de pessoas, pois há um legitimo mandato a cumprir até 2013 (e Deus nos proteja até lá), que se modifique a postura da Diretoria e dos Conselheiros.

As reuniões do Conselho Deliberativo necessitam ser mais produtivas e ajudar mais o clube. O FUTEBOL PROFISSIONAL precisa ser discutido pelos Conselheiros (não me refiro a discutir contratações, mas a política de futebol profissional do clube). Vamos focar no que realmente nos preocupa e interessa neste momento. Tenho certeza que os Conselheiros vanguardistas anseiam muito por isto.

Como único registro positivo recente no futebol do Vitória, cabe registrar a forma voluntariosa, competente e vitoriosa da Diretoria, liderada por Epifânio Carneiro, da Comissão Técnica, coordenada por Carlos Amadeu, e os jogadores das Divisões de Base que superaram novamente o adversário e, apesar da vantagem, empataram uma e venceram a outra partida das finais do baiano de juniores.

Quem sabe ai está uma esperança de renovação no Vitória, até na necessária mudança na liderança do clube, que não mais representa a imensa maioria dos seus torcedores.

*Pedro Dorea – Bel. em Direito e Conselheiro do ECVitória.

Foi emocionante…

Olá amigos rubro-negros!

O respeito só é devido a quem se impõe para tê-lo. E assim o foi para a equipe do GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA que, mesmo não tendo sido campeão, seus atletas jogaram e lutaram como verdadeiros guerreiros na última partida da final do campeonato baiano de 2012, na tarde desse domingo, no estádio de Pituaçu. Por pouco “As Profecias de ROCHADAMUS” não se concretizaram, pois, conforme estava escrito, aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo o SALVADOR LOMBA evitou, por três vezes, o gol que daria o título de campeão ao Leão da Barra. Foi emocionante…

O jogo teve todos os ingredientes dignos do maior clássico do futebol do Norte/Nordeste. Eles foram campeões, porém, assim como nós, sofreram até o apito final do árbitro. Mesmo perdendo o campeonato, o time do VITÓRIA saiu aplaudido de campo, dando esperanças ao torcedor rubro-negro para o retorno à série “A” do Brasileirão. Claro que precisamos de reforços, principalmente para as laterais, o que é sabido por todos, porém não devemos deixar de reconhecer o crescimento da equipe nos últimos jogos, sob o comando de Ricardo Silva. É sempre assim: os jogadores parecem que fazem um pacto com ele e dão “aquele algo mais”.

Mais um título perdido. É hora de reflexão. É hora de aprender com os erros. Vislumbramos alguma luz no fim do túnel? Vemos mudança no modus operandi da Diretoria e do Conselho Deliberativo? Não, não vemos. Mas isso será assunto para outro artigo. Agora, só nos resta chorar pelo leite derramado. Os detalhes fazem uma diferença enorme. O profissionalismo, o planejamento e as atitudes, também.

Assim como toda a NAÇÃO RUBRO-NEGRA, estou triste. Assim como estive ontem em Pituaçu, na próxima quarta-feira também estarei no BARRADÃO. O jogo contra o Coritiba, pela Copa do Brasil, será mais um duelo duríssimo para os LEÕES DA BARRA. Vamos todos ao nosso estádio torcer por um resultado positivo.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Assim falou Rochadamus

Orai e vigiai, porque os mansos de espírito, os puros e humildes de coração herdarão o paraíso e campeões serão. Os guerreiros rubro-negros deram prova de garra, determinação e muita técnica, ontem à noite na batalha do Engenhão/RJ, contra o Botafogo, no jogo de volta, quando, de virada, venceu o time carioca por 2 x 1. Parabéns ao técnico Ricardo Silva que fez as substituições certas, na hora certa, possibilitando, assim, a grande VITÓRIA do GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA. Estava escrito, assim como falou Rochadamus em suas QUADRAS I e II.

Ao contrário dos dirigentes do cavalo paraguaio de Itinga, do seu presidente, o Tiririquinha (http://www.galaticosonline.com/entrevista/28/02/2012/49,presidente-do-bahia-alfineta-o-vitoria-em-entrevista-exclusiva.html) e do seu técnico, o Falconete, (http://globoesporte.globo.com/futebol/times/bahia/noticia/2012/05/falcao-diz-ter-conviccao-de-que-bahia-sera-campeao-baiano.html) que andam alardeando aos quatro ventos que já são campões baianos de 2012, nós rubro-negros acreditamos que o trabalho, a humildade, a determinação e a luta são os ingredientes necessários para sairmos vencedores em mais uma batalha, A BATALHA FINAL, que será travada no próximo domingo em Pituaçu. A resposta será dada dentro de campo, pois QUEM FALA DEMAIS DÁ BOM DIA AO CAVALO, ou melhor, ao LEÃO. Ao contrário, quem trabalha DEUS ajuda e haverá de ser recompensado.

Pois é amigos rubro-negros, tudo está se desenhando conforme foi escrito. Até os gols perdidos por Neto Baiano no jogo de ontem à noite têm o lado positivo: ficaram guardados para o jogo final de domingo. Acreditem!

ASSIM FALOU ROCHADAMUS.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

13 de maio e o Esporte Clube Vitória (por Olavo José Oliva)

Trata-se de uma data significativa na história da sociedade brasileira e do primeiro passo rumo à igualdade racial. Há exatamente 121 anos, acontecia a abolição da escravatura no Brasil. Nesta data também estaremos comemorando o Dia das mães.

O 13 de maio, por tratar-se do 133º dia do ano é considerado pelas ordens secretas, esotéricas, filosóficas e místicas como sendo uma proporção áurea do ano.

No Brasil registra-se, igualmente, como Dia do automóvel, Dia da Fraternidade, Dia da estrada de rodagem, Dia do zootecnista e Dia do chefe de cozinha.

Nesta mesma data dois grandes clubes do futebol brasileiro foram criados: o Spot Club do Recife e o Criciúma Futebol Clube e, claro, o nosso glorioso ESPORTE CLUBE VITÓRIA.

Preocupa-me como torcedor e conselheiro o resultado do próximo BAVI a ser realizado no Estádio de Pituaçu, valendo pelo título baiano da temporada de 2012.

O jogo de ontem me deixou bastante aborrecido, em razão da mediocridade das duas equipes e pela postura pouco agressiva do Vitoria na busca pelo resultado.

Aquele era o nosso jogo!!. O jogo para reverter a vantagem do adversário. Para que eles entrassem amedrontados no ultimo jogo.

Não quero aqui adotar uma postura de "Pitoniza de Tebas" mas tenho a impressão que o titulo de 2012 foi perdido ontem. A Diretoria atual do EC VITORIA, de forma recorrente, guardará como mais um troféu do insucesso, além de tantos outros, (queda para série B, eliminação pelo Baraúnas, Botafogo da Paraíba, Colo Colo, Bahia de Feira, virada do São Caetano no ano passado etc.) e, já estou computando também, a perda do campeonato para o mais tradicional rival na data do seu aniversário.

Que presente para a torcida hein?

Mas será que tantas decepções nos últimos anos para os torcedores são frutos do acaso? Do destino?

Tenho a impressão que não.

O discurso adotado pelo presidente quando da queda do clube para a 2ª divisão, deixou clara a ausência de liderança para conduzir a nau rubro-negra. As constantes declarações no meio radio-televisivo à época de: "não ter dinheiro" e "quero deixar o Vitória devendo menos do que quando assumi", demonstram que as metas traçadas pelo dirigente maior levariam o clube para a série B. No meu modesto entendimento, meta para "dever menos" é meta de Diretoria Financeira e não de Presidente de clube.

Faltou visão de futuro, pois no ano seguinte as cotas de televisão foram revistas pela Rede Globo e o clube teve um orçamento em 2011 maior que o de 2010, ano do debacle. Bastava um pequeno investimento através de adiantamento de cotas futuras e poucas contratações para que o clube permanecesse na série A e não deixasse tão triste a torcida. Quem não se lembra que descemos para série B com o mesmo número de pontos que o Atlético de Goiás?

O papel do líder para subir esta montanha íngreme e difícil é de suma importância. O guia mor deve motivar a tropa e dar uma injeção de animo no grupo, pois se assim não for, a energia negativa se irradia por toda organização.

E o que exige uma organização de seu líder?

Cooperação e confiança mútua, tomada de decisão onde existe a competência. gerenciamento focado em resultado, avaliação de performance contínua e clara, comunicação franca, informações compartilhadas, trabalhar com emoções e argumentos em situações de conflito, fazer uso de diversas opiniões, argumentos e diferentes culturas, comprometimento com novas idéias, identificar e destacar méritos, compartilhar e desenvolver parcerias.

E finalmente:

Comprometimento com liderança. O líder precisa ter consciência da responsabilidade que carrega e da necessidade de estar comprometido com a liderança. Um adequado comprometimento com a liderança se reflete em uma equipe forte, que trabalha motivada e que entrega resultados.

Será que o nosso Esporte Clube Vitória está bem conduzido? Será que nosso presidente passa essa mensagem de otimismo para o grupo? Será que alcançaremos nossa maior meta este ano? Ou teremos mais um ano de desapontamentos?

Quanto ao campeonato baiano, entendo que já está perdido, a não ser que a estrela de Ricardo Silva brilhe mais uma vez e as declarações do técnico Falcão alardeando o Bahia campeão motive o grupo.

Pois se depender de liderança…

(Olavo José Gouveia Oliva é Auditor Fiscal do Estado da Bahia e conselheiro do Esporte Clube Vitória).

As quadras de Rochadamus (II)

Olá amigos rubro-negros!

Quando você deseja alguma coisa, do fundo do seu coração, e você tem o devido merecimento, todo o universo conspira para que você o consiga.

Como disse Rochadamus em suas Quadras I, o cavalo paraguaio de Itinga vem, a cada jogo, perdendo forças, tomando consciência que não é o que seus insensatos e fanáticos torcedores tricoloridos pensam ou pensavam. Eles estão com os nervos à flor da pele.

A humildade, combinada com a garra e a vontade de vencer dos leões da Barra tem correspondido. Só falta agora a BATALHA FINAL. Que tenhamos o presente dos DEUSES para comemorarmos o aniversário do GLORIOSO VITÓRIA, O LEÃO DA BARRA, em grande estilo, em festa de gala. Vai ser fácil, vai ser tranqüilo? Não! Nada é fácil, nada é tranqüilo para nós rubro-negros. Mas, o mais importante é a luta, a perseverança, a entrega. E é isso que queremos nesta última batalha. E que os anjos digam amém. E assim o será.

Parabéns guerreiros e torcedores rubro-negros. O jogo e o resultado desse domingo foi o que estava escrito. Tudo foi como tem que ser. Vamos continuar direcionando as nossas energias para o que desejamos: celebrar o aniversário do ESPORTE CLUBE VITÓRIA com mais um título.

Voltemos às quadras (II):

(II-1)

No 13º dia, do 5º mês, do 12º ano do 3º milênio

Quando o falcão se ausentará

Aquele que se dizia de aço, já enferrujado

Diante do rei das selvas se curvará.

(II-2)

O leão resplandecente surgirá

E com um raio fulminante

Aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo

A profecia se cumprirá.

(II-3)

A festa de aniversário do maior do século acontecerá

Com rojões e suntuosidade

Tornando feliz a nação rubro-negra

Que humilde e voluntariosamente vencerá.

(II-3)

Uns vibrarão pela e pelo VITÓRIA

Outros chorarão e não dormirão

Porém, cumprindo a profecia, o leão da barra

o rei das selvas se consagrará mais uma vez campeão!

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

As quadras de Rochadamus

Olá amigos rubro-negros!

Parafraseando o rei Roberto Carlos: “são tantas emoções”. Ou melhor, foram e serão muitas emoções que vivemos e viveremos nesses últimos e próximos dias. Foi contra o ABC, naquele jogo inesquecível e “sofridamente” maravilhoso; foram nos jogos com o Feirense; será no jogo de hoje à noite contra o Botafogo; e serão emocionantes os jogos com o cavalo paraguaio de Itinga.

Rebuscando e revendo uns proféticos escritos, encontramos estas “AS QUADRAS DE ROCHADAMUS” que divulgamos parte delas (outras virão) a seguir:

I-1

Nos 4º e 5º meses do 12º ano do 3º milênio, numa baia de São Salvador

Muitos dentes rangerão e outros tantos não dormirão

Serão dias de angústia e aflição

Quando o rei das feras se tornará mais uma vez campeão.

I-2

O interior não será representado na final

O que confirma a escrita do 3º milênio

Quando novamente a fera vencerá

E como maior do século se consagrará.

I-3

O rei da selva resplandecerá

E aquele que se diz de aço se enferrujará

O leão comerá o falcão

Tornando-se campeão da terra e do ar.

I-4

Todo o universo entrará em conspiração

E o cavalo paraguaio de Itinga

Maior vice do novo milênio

Cairá de joelhos diante do LEÃO CAMPEÃO.

Vamos todos ao Barradão nesta quarta-feira e no próximo domingo. A hora é agora!

Tenho alguns comentários a fazer sobre a última reunião do Conselho Deliberativo do GLORIOSO ESPORTE CLUBE VITÓRIA, porém o farei em outra oportunidade. O momento agora é de focar no Botafogo e no cavalo paraguaio de Itinga.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

%d blogueiros gostam disto: