Arquivo mensal: abril 2012

O lado bom das coisas

Olá amigos rubro-negros!

Resolvi! Não vou mais escrever sobre o lado ruim. Ser VITÓRIA é ver sempre o lado bom das coisas.

Resolvi! Não adianta ficar malhando em ferro frio. Se o problema é genético, de que adianta ficar sofrendo à toa. Carpe diem*. Aproveite o momento. Toda moeda tem dois lados. Cabe a você escolher: ser otimista ou pessimista. Seja feliz. Seja otimista. Como já disse Marta Suplicy, quando você não pode fazer nada para melhorar uma situação, a melhor coisa que você deve fazer é “RELAXA E GOZA”.

O time do Vitória, com alguns desfalques, perdeu para o Feirense, ontem em Senhor do Bonfim, na primeira partida da semifinal. Foi ruim? Poderia ser pior. No próximo sábado, vamos lotar o nosso SANTUÁRIO, para, com certeza, assistirmos mais um jogo memorável do nosso LEÃO DA BARRA e passarmos para as finais do campeonato baiano. Ontem, assim como aconteceu com o nosso GLORIOSO VITÓRIA, foi dia de alguns grandes times do Brasil perderem, a exemplo de Corinthians e Palmeiras. O problema deles é que perderam no jogo decisivo. O nosso jogo decisivo é sábado e vamos lotar o Barradão para presenciarmos uma grande vitória do VITÓRIA!!!

Pois é meus amigos, nos meus últimos artigos fui alquimista, geneticista e outras coisas mais. Agora incorporarei o espírito de NOSTRADAMUS e vos afirmo profeticamente: O VITÓRIA SE CLASSIFICARÁ PARA AS FINAIS DO CAMPEONATO BAIANO (TODOS AO BARRADÃO NO PRÓXIMOSÁBADO 16H).

Com todas essas coisas, incorporações espíritas, DNA, pedra filosofal e o escambau, eu estou ficando igual ao time do Vitória, que num dia joga bem e no outro mal, eu estou com um problema sério, já não sei quem sou, estou com dupla ou múltipla personalidade. Basta sair um ou outro jogador que o time se transforma, se desmantela. Viu? Não resisti. Disse que não ia criticar, porém, não tem como não fazer algumas observações. São críticas construtivas. Por mais que neguemos, não adianta querer dourar a pílula. Tem dia que o time joga bem setenta e cinco minutos e quinze ruim; no outro é o contrário; e tem dia que não joga nada.

Porém, mais uma vez profetizo que sábado é dia de índio. Sábado é dia de fartura no sentido literal da palavra. Sábado é dia de vitória. Sábado é dia do Vitória.

VITÓRIA, VOCÊ É MAIS QUE TUDO ISSO, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

*Carpe Diem significa “aproveite o momento” em latim. O termo se tornou conhecido através de um poema de Horácio, e é também utilizado como uma expressão para solicitar que se evite gastar o tempo com coisas inúteis ou como uma justificativa para o prazer sem ter medo do futuro.

Anúncios

Guerra de DNA: Alexi X Ricardo

UFA!!!

Ser VITÓRIA é sofrer até o último minuto.

O título deste artigo seria “O DNA DE ALEXI PORTELA” (depois explico), isto até os trinta e cinco minutos do segundo tempo, quando o GLORIOSO VITÓRIA perdia para o ABC de Natal por 2 X 0. Já saindo do estádio, nem eu, nem o mais otimista dos torcedores poderia acreditar que pudéssemos virar o jogo. Ser VITÓRIA é crer no inacreditável. Consciente disto, mesmo antes do jogo e depois quando já estava 1 X 0, fiquei dizendo para os parceiros de Barradão que iríamos sofrer até o último minuto, empatar em 1 x 1 e ganhar nos pênaltis. Errei na previsão do placar, mas acertei no sofrimento. Não sei se foi melhor ou pior. Só sei que foi fantasticamente sofrível e maravilhosamente surpreendente. Cheguei a ver o primeiro gol de Neto Baiano, mas não acreditava que o impossível pudesse acontecer. ACONTECEU!!! Ouvi os outros dois gols no carro pelo rádio. Foram gritos e vibrações solitárias até chegar à Avenida Paralela, quando, unindo-me a outros carros, fizemos um buzinaço até o viaduto do Macro.

Pois é amigos rubro-negros, que palavras poderíamos dizer para descrever o nosso sentimento, a nossa emoção, a nossa satisfação e alegria pela façanha? Simplesmente INDESCRITÍVEL!

Voltando ao mundo real, falando do jogo, principalmente até os trinta e cinco minutos do segundo tempo, quando perdíamos por 2 X 0, o time fez uma partida apaticamente irreconhecível. Sem tática, faltando técnica, destacavam negativamente o lateral Léo e o meia-atacante Rildo, isso para não falar dos outros. Estava difícil encontrar alguém para elogiar. Parecia que todo mundo havia esquecido de como jogar futebol, muito longe daquela apresentação dos 6 X 1 de domingo.

Foi quando falei que o título do meu artigo seria “O DNA DE ALEXI PORTELA”. Explico. Tenho sempre procurado uma explicação para a inconstância, inconsistência e irregularidade dos jogadores e do time. Encontrei: é um problema genético, é um problema de DNA. O time tem o DNA de Alexi Portela. Tem sido assim nos últimos tempos. Tem faltado sangue, energia, garra, vontade… Quando mais precisamos, falta. Já escrevi sobre isso em UMA FARTURA. Farta tudo. Mas aí vem a GUERRA. A GUERRA DOS DNAs de Alexi Portela com Ricardo Silva. É um contraste genético que não tem mais tamanho. Um é lento, apático e azarado, enquanto o outro é cativante, humilde e aguerrido; um é perdedor, o outro é surpreendentemente sortudo e vencedor (na medida do possível). Ontem, nessa batalha/guerra, venceu mais uma vez o DNA de Ricardo Silva. Teremos outras batalhas. QUE VENÇA SEMPRE O GLORIOSO VITÓRIA!

Mando um abraço para André e a turma da torcida organizada CAMISA 12. Iuiui!!!

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Um bom sinal para a fase final

Pois é amigos rubro-negros,

A grande exibição do time do Vitória na partida deste domingo, em que venceu o Feirense por 6 X 1, é um bom sinal para a fase final do baianão que começa no próximo domingo, contra o mesmo Feirense. O é também para o jogo desta quarta-feira, contra o ABC, pela Copa do Brasil.

Que o espírito da leveza, da união, da garra e a qualidade técnica e tática prevaleçam na equipe. Normalmente tem sido assim: o grupo quase sempre se fecha com Ricardo Silva. São as duas faces da mesma moeda. Uma é boa, pois ele consegue fazer com que os jogadores dêem algo mais, se superem, ou melhor, joguem com vontade. Isso, acredito, em retribuição à humildade, amizade e companheirismo do interino. Por outro lado, depois que chega um novo técnico, esse mesmo grupo, já minado, cria suas resistências e problemas. É um caso para estudo.

Mas, deixando tudo isso de lado, o mais importante é que o time vibrou, se energizou e brilhou no domingo. Ganhou de seis, mas poderia ser de bem mais, tal a quantidade de oportunidades criadas. Esta CRESCENDO na hora certa. Que continue assim.

Quarta-feira temos mais uma batalha no Barradão. Que venha o ABC.

Vou contar uma coisa engraçada para vocês. Foi uma colega de trabalho, torcedora do maior vice dos últimos doze anos, quem me deu a idéia de escrever este texto. Ela me falou: “Rocha, seu time esta crescendo na hora certa. É um bom sinal. Já o meu (lá dela) está o contrário. Já avisei que não vou assistir aos jogos das semifinais e finais. Não diga a ninguém que eu lhe disse isso”.

Foi quando eu, morrendo de rir, disse que esse seria o tema central do meu artigo desta semana. Promessa cumprida.

Pois é amigos rubro-negros, se até eles estão tremendo, só temos que continuar jogando como time grande e nos impor nessa reta final.

GLORIOSO VITÓRIA, VOCÊ É SOMA DE TODOS NÓS!!!

SEM ASSUNTO

Pois é amigos rubro-negros,

Passei esta semana sem inspiração, sem assunto para escrever. Foi uma semana de e para reflexão. Reflexão sobre o que será o nosso GLORIOSO VITÓRIA este ano. Já se passaram mais de três meses e ainda não temos um time que nos transmita confiança. Não importa se ganha ou perde. Neste momento o que nos importa é ter confiança, segurança, tranqüilidade. É termos esperança que dias melhores virão. É podermos vislumbrar o retorno à série “A”. E você, amigo rubro-negro, tem confiança nesse time? A administração do ESPORTE CLUBE VITÓRIA lhe passa confiança? O diretor de futebol tem lhe demonstrado “anças” (confiança, segurança, mudança ou lambança?)? Qual o jogador que você pode afirmar: “esse é o cara”? Já o temos? Quem será o novo técnico? Seja quem for, conseguirá montar um time de “primeira”?

Essas são as minhas angústias, as minhas dúvidas desta semana. Nem o empate no jogo com o ABC conseguiu me motivar. Achei até um bom resultado, pois agora só nos basta um empate sem gols ou uma vitória simples dentro do Barradão, na próxima quarta-feira.

Aproveito a oportunidade para divulgar o comentário do artigo “O Alquimista e a pedra filosofal” que o colega Agnaldo Silva fez sobre o comentário de Roberval Lima, outro colega da SEFAZ:

Que bom ver o Roberval Lima expondo suas idéias. O fato é que toda Organização tem a “cara” do chefe. E o Vitória de hoje tem o jeitão de Alexi Portela. Ou seja: inseguro, sem força e com a auto-estima lá embaixo.

Muitos falam que Alexi Portela é um empresário de sucesso. Só que isto não é requisito para comandar uma equipe de futebol. Eu também sou bem sucedido em tudo o que faço. Porém isso não me habilita a dirigir uma nação como é o Esporte Clube Vitória.

É preciso de muito mais do que isso. Carece de liderança real e, acima de tudo, ser vencedor e aparentar que o é. Alexi passa a imagem de um menino chorão, criado dentro de muros de condomínio e, por parecer indefeso, todos querem logo tomar o seu pirulito. A torcida do Vitória precisa de um líder de verdade. (Agnaldo Silva).

VAMOS À LUTA GLORIOSO VITÓRIA – VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!

O Alquimista e a pedra filosofal

Pois é amigos rubro-negros:

Ando, de todas as formas, procurando as explicações possíveis e até mesmo impossíveis para diagnosticar o problema do time do VITÓRIA nesses últimos anos, em especial nesses últimos meses, mais precisamente ainda neste campeonato baiano. Ando, inclusive, buscando filosofar, fazer previsões, enfim, tentando encontrar as causas dos sucessivos insucessos do nosso GLORIOSO VITÓRIA. Já comentamos de e sobre todos os ângulos e nada, ou melhor, no fim das contas sempre concluímos que o buraco era e é mais embaixo, que o ou os problemas são de ordem de comando, decorrentes da estrutura organizacional e, principalmente, de gestão; vem dos bastidores, são de liderança.

Descobrimos a pólvora, reinventamos a roda? Qual nada! Disso todo mundo sabe, disso todo mundo fala, disso todo mundo grita. E eu pensando que era o bam-bam-bam. Sou nada! E eu pensando que encontrei a PEDRA FILOSOFAL, que era o ALQUIMISTA, que seria capaz de transformar qualquer “mercadoria” em ouro…

Pois é, mais uma vez, amigos rubro-negros, precisamos apelar para todos os Santos, pois Sangue de Cristo tem Poder – vamos aproveitar, já que estamos na Semana Santa. Vamos transcender ao mundano, ao normal, ao costumeiro e buscar explicações ou soluções em outras dimensões, apesar de, conforme já dissemos, todos nós sabermos as causas disso tudo, as quais deixaremos para o “grand-finale”.

Conforme a história e a sabedoria nos têm ensinado, qualquer grupo, qualquer time para se tornar uma boa equipe, uma boa orquestra é preciso que tenha um grande líder, um grande maestro, um grande mestre. E esse mestre tem saber o que quer e o que é melhor para o grupo. Esse mestre é quem ensina, é quem lidera, é quem acolhe, é quem acalenta, é quem puxa as orelhas, enfim, ele é o LIDER, é o MAESTRO, é o COMANDANTE. Numa casa em que isto não está tacitamente e claramente definido e amplamente difundido, é uma casa de “NOCA” (Não Obterá Campeonato Algum).

Comando, liderança, determinação e vontade de vencer não são inerentes a nenhum cargo, seja de PRESIDENTE, DIRETOR ou TREINADOR. Estes atributos são inerentes à pessoa. Ou ela os tem ou não. Não adianta ser presidente de um GRANDE CLUBE como o é o nosso GLORIOSO VITÓRIA, não adianta ser um empresário bem sucedido, seja em que ramo for, porque no futebol, para liderar e ser vencedor, é preciso que tenha esse conjunto de atributos. Tenho dito!!!

Os resultados positivos vêm como conseqüência de uma boa estrutura organizacional, de uma boa gestão, de uma voz de comando firme e forte (não entender como opressiva e ditatorial, não tem nada a ver). O mestre ensina com a razão e o coração. O mestre ensina com atitudes. O mestre ensina com sabedoria. O mestre ensina com exemplo.

O mundo do futebol é mundo “CÃO”, não é para qualquer um.

A PEDRA FILOSOFAL está dentro de cada um de nós. É preciso procurá-la com os olhos da alma para encontrá-la. SEJAMOS ALQUIMISTAS.

ACORDEM DORMINHOCOS!!!

Em outra oportunidade falarei sobre a idiotice, a prova de incompetência, o reconhecimento da ineficiência generalizada que é a TORCIDA ÚNICA nos estádios. É O FIM DOS TEMPOS (12/12/12).

GLORIOSO VITÓRIA, VOCÊ É MAIOR QUE QUALQUER UM, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

%d blogueiros gostam disto: