Arquivo mensal: agosto 2014

A arte do fazer acontecer.

Olá amigos rubro-negros!

Dizem as boas e más línguas que “a sorte sempre acompanha os competentes”, assim como o contrário também é verdadeiro. Estamos vivendo no futebol profissional do ECVitória os nossos piores momentos. Este ano de 2014 da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo tem sido terrível para nós rubro-negros, valorosos torcedores do LEÃO DA BARRA.

Quando a gente pensa que está tudo ruim, eis que as coisas pioram. Quando a gente pensa que nada mais vai nos surpreender, eis que nos surpreendem negativamente. Quando a gente pensa que a nossa dignidade vai ser preservada, eis que a mandam ralo abaixo…

Quando dissemos, na semana passada, que, se não ganhamos da Chapecoense dentro do Barradão, íamos ganhar de quem, muitos me acharam pessimista. Eis que perdemos, pelo placar mínimo, nesse domingo (24/08), dentro da nossa casa, para a magnífica e extraordinária equipe do Figueirense-SC. Aí eu repito: Se não conseguimos nem empatar com o Figueirense dentro do Barradão, vamos ganhar de quem?

Hoje vocês vão ter um pouco de paciência comigo, pois tenho coisas a dizer sobre os acontecimentos da semana passada, quando perdemos, na quarta-feira (20/08), para o Coritiba por 2 X 0, oportunidade em que vimos um time sem alma, um time sem tática, um time sem vontade, um time sem sangue no olho, um time sem nada… O locutor que transmitia o jogo pela TV fechada classificou o time do ECV de “BUROCRÁTICO e de pouca inspiração”. Eu disse ontem para um amigo/conselheiro que a maioria das casas tem a cara do seu dono. A cara do time do ECV está feia e maltratada. Precisa de cirurgia, botox e outras coisas mais.

Fomos também surpreendidos pela volta de Ney Franco. Eu pensei com os meus botões: é muita falta de opção, é muita falta de vergonha, é muita falta de imaginação, é muita falta de dignidade, é muita falta de tudo… No mesmo ano, três meses depois de nos ter abandonado, quando o correto era ele já ter sido demitido há tempos, como fizeram agora com Jorginho, mais um bode expiratório, eis que volta o AFUNDADOR DA PÁTRIA, aquele que nos deu as piores alegrias (tristezas) do ano, perdendo tudo que disputou. Recomeçou bem: ontem já tivemos o aperitivo do que vamos passar neste final de ano. Que os Santos, Anjos, Serafins e Querubins digam amém e intercedam para que aconteça o contrário, pois a esperança é a última que morre.

Para fechar o caos da semana passada, saiu na imprensa e eu presenciei o disse me disse dos presidentes (do Conselho Diretor e Deliberativo) na reunião do Conselho Deliberativo. Lamentável!

Pois é amigos rubro-negros, a coisa tá preta. Deveria estar preta e vermelha, mas só está preta. E o pior é que não estamos vendo luz no fim do túnel. Vocês acham que Ney Franco vai resolver alguma coisa? Só milagre! Escudero e Juan voltaram ontem. Juan perdeu o pênalti e Escudero ainda está sem ritmo de jogo. Esperamos que eles e os outros façam alguma coisa para nos livrar do rebaixamento, pois esta é a grande meta deste ano. Se conseguirmos nos manter na primeira divisão, daremo-nos por satisfeitos, não é?

Com o resultado de ontem, assumimos a lanterna do campeonato com 29,4% de aproveitamento, com chances quase nulas de chegar ao G4 e quase sessenta por cento (59,4%) de probabilidade de ser rebaixado.

Mas “Sêo Minino” e essa tal “Arte do fazer acontecer” o que é mesmo? É a capacidade que um bom gestor tem de escolher bem a sua equipe, liderá-la de forma democrática, voltada para o cumprimento das metas planejadas, assim como fazê-lo de forma ordenada e metodizada. Já havíamos chamado a atenção para o assunto no nosso texto “O perfil de um bom gestor”, destacando essa “arte” e que um bom gestor é, antes de tudo, um fazedor de líderes, tornando sua equipe “interindependente”, harmonizada e competente. Quem não o faz, não o é.

Por exemplo: mais importante que apresentar números e análise de pesquisa, é apresentar o que fez e o que fará para alcançar os resultados desejados. Fazer análise do que está feito é para mentes limitadas, porém demonstrar o que fez e o que fará, assim como os ganhos obtidos e a obter, é para mentes brilhantes. A mediocridade não leva a lugar algum, a não ser repetir aquilo que já foi feito. É preciso renovar. É preciso ousar. É preciso inovar. É preciso aprender a ARTE DO FAZER ACONTECER. É preciso procurar ser UM BOM GESTOR.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Anúncios

Fotos da semana!

Começando do fim.

Olá amigos rubro-negros!

Poderíamos ter dado vários outros títulos a este texto: O verdadeiro torcedor, Fazedor de lideres, A bola não entra por acaso (de novo), ECV acima de tudo e de todos…

E por qual motivo escolhemos este? Sempre terminamos nossos textos com o mantra:

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

E hoje eu queria começar com ele porque:

O ECVitória é maior que Falcão.

O ECVitória é maior que Alexi.

O ECVitória é maior que Zé Rocha.

O ECVitória é maior que os Conselheiros.

O ECVitória é maior que Jorginho.

O Ecvitória é maior que Adriano.

O ECVítória é maior que Luis Aguiar.

O ECVitória é maior que qualquer um.

O ECVITÓRIA É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

O ECVitória é dos VERDADEIROS TORCEDORES.

E quem são esses verdadeiros torcedores? São aqueles que, faça chuva ou faça sol, estão com o Vitória, apoiando, criticando, reclamando; aqueles que querem o melhor, mas que fazem a sua parte: indo ao estádio, sendo sócio do Sou Mais Vitória – SMS… Não são aqueles corneteiros que só criticam por criticar, não ajudam em nada ao Vitória. Da mesma forma, aqueles que só dizem amém, seja torcedor, dirigente ou conselheiro, ajudam pouco ou quase nada.

Ontem (17/08) não conseguimos ganhar da Chapecoense dentro de casa, não conseguimos nem fazer um gol. E aí, mais uma vez eu lhe pergunto: se não ganhamos da Chapecoense, vamos ganhar de quem? É preocupante!

De quem é a culpa? O que aconteceu? Falta transparência? Falta comunicação? Falta o quê?

Todos estes questionamentos e/ou afirmações têm uma razão de ser, têm um porém, têm um porque. De novo podemos dizer: A bola não entra por acaso!

É preciso conjunto; é preciso gestão; é preciso definição; é preciso objetivo; é preciso planejamento; é preciso execução; é preciso liderança; é preciso harmonia; é preciso bom ambiente de trabalho; é preciso vontade de vencer; é preciso sangue no olho; é preciso alegria… É preciso atitude certa na hora certa!!! A maioria dos problemas decorre disto.

Nenhum caminho leva a lugar nenhum se você não souber para onde quer ir. A construção se dá tijolo a tijolo, telha a telha, argamassa, areia, cimento… Todos têm a sua função e importância, mas você tem que saber o que quer e para onde quer ir.

É redundante? É óbvio? Sim, é! E daí? Com um bom ambiente e o psicológico coletivo equilibrado, em paz, harmonizado, tudo fica mais fácil.

Mais importante que ser líder é ser fazedor de líderes. O pior é que estamos com falta dos dois. Ontem um amigo/conselheiro me falou que Richarlysson era uma liderança no grupo. Aí eu falei para ele: se ele é líder, nós estamos muito mal. Não é pouco não, é muito mesmo. Serve para reflexão.

Que dias melhores cheguem na TOCA DO LEÃO.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Galeria de fotos atualizada!

Acessem: https://rocharubronegro.com/fotos/

Oliveira, o profeta.

Olá amigos rubro-negros!

Hoje é festa lá no meu apê!!!

Sábado (02/08) foi festa lá na nossa casa, no nosso Santuário…

O Barradão é sempre uma festa! A Passarela do Álcool, os Amigos, Os Imbatíveis… Nós fizemos a festa e o time correspondeu.

E o GLORIOSO ECVITÓRIA voltou a vencer no seu, no nosso CALDEIRÃO e fez valer o mando de campo, ganhando, de virada, pelo placar de 2 X 1, gols de Caio, para a forte equipe do Grêmio-RS, acabando com o jejum deste ano e do Brasileirão.

E o que vimos? Vimos um time mais compactado e com muita vontade de ganhar, principalmente no segundo tempo.

Confesso que fiquei preocupado no primeiro tempo, principalmente pela ausência de um cabeça de área de ofício. Cheguei até a criticar Jorginho pela armação, sem um ou dois volantes mais pegadores, pitbulls. José Wellinson não tem esse perfil. Ainda bem que deu certo. A conversa no intervalo surtiu efeito.

Isso serviu para confirmar uma máxima nossa: existindo um bom ambiente de trabalho (equilíbrio psicológico coletivo), uma boa relação (confiança) entre técnico e jogadores e uma boa disposição tática (esquema de jogo bem definido), às vezes, as limitações técnicas do elenco podem ser superadas pela garra, determinação, sangue no olho…

Vimos também que o elenco está mais qualificado. A entrada de Luis Aguiar e Marcinho com mais ritmo de jogo melhoraram a qualidade do passe. Esperamos os retornos de Escudero, Cárceres e Juan (que voltem bem) para que o time possa ter mais possibilidades de variações. Se Los Hermanos derem liga, teremos um bom segundo semestre. Que Deus nos ouça.

Mas meus amigos, quando Caio empatou o jogo, Oliveira (vide “As orações de Oliveira”), aquele amigo e parceiro das cadeiras, me disse: “Rocha, vamos ganhar com um gol de pênalti”. Passados alguns minutos e eis que o profético pênalti fantasma acontece. Não me contive e, antes mesmo da cobrança (perguntaram-me quem cobraria e eu respondi que deveria ser Dinei) eu falei para a galera que o título do meu texto desta semana seria: Oliveira, o profeta. Promessa cumprida. Agora são dois textos para o Oliveira. Espero escrever outros.

VITÓRIA, VOCÊ É A SOMA DE TODOS NÓS!!!

Concentração para o jogo Vitória X Grêmio

%d blogueiros gostam disto: