Não serve pra nada. Por Agnaldo SIlva*

Olá amigos rubro-negros!

Creiam numa coisa: a melhor forma de testar o grau de incompetência de um dirigente esportivo é observar o quanto de suas decisões obedece aos ditames da mídia; visto que repórter não tem experiência com nada. Seu labor é apenas falar e sem comprovar.

Pois, conduzir um negócio, agindo pelos ditos da imprensa é como se um gestor atirasse no escuro. Conversa de repórter não dá segurança. Os radialistas, por exemplo, apenas possuem a certeza de que tudo dará certo se for feito conforme suas ideias. E a comprovação? Alguém é capaz de apresentar alguma grande obra realizada por um cronista, locutor ou outro da espécie, na administração de um clube de futebol? Eu até hoje não sei. O que se sabe é que alguns componentes da mídia já tentaram prestar serviços a times de futebol e foram muito malsucedidos. No Rio de Janeiro, um famoso comentarista esportivo, chamado Washington Rodrigues, foi treinar o Flamengo e nem um jogo ganhou; sequer empatou. Perdeu todas as partidas e foi demitido como ruim. Outro caso notável ocorreu com o radialista Cléber Leite. Dirigiu o rubro-negro da gávea e também naufragou. Apenas transformou o clube em um maior devedor.

Mas, em sentido contrário, temos a história do Vitória. Seu maior crescimento ocorreu por perseguir alvos concretos, projetados por técnicos, deixando a mídia de lado, plantada em seu devido lugar. Apenas noticiando os fatos. Como se sabe, o Vitória firmou a imagem do estádio Manuel Barradas, quando todos faziam campanha contra, e as divisões de base colocaram atletas nas maiores equipes do mundo, enquanto a imprensa local só “esculhambava” nossas conquistas. Se a equipe de Paulo Carneiro fosse fraca, seríamos ainda um clubezinho sem expressão. No máximo continuando a ser uma segunda força do futebol da Bahia, tendo em sua linha de frente, um clube mambembe chamado ex-quadrão, hoje registrado como o eterno sardinha.

Como se sabe, a ferramenta de trabalho de certos repórteres é a língua. Fala muito, porque ganha para isso; mas não passa confiança. São clínicos gerais em todos os assuntos e não assumem o ônus daquilo que prega. Vejam o caso da fonte nova. Todos a colocavam como sendo segura, linda e bonita para se opor ao Barradão. A fonte caiu e todos ficaram calados. Piu! Será que a mídia não foi corresponsável? Piu de novo!

Portanto, senhores gestores, pensem, planejem e ajam com sabedoria. Só vocês, junto com a torcida, têm o poder de levar este futebol a ser um dia grande. Esta mídia local não serve pra nada.

Saudações rubro-negras!

* Agnaldo Silva é Bel em Direito e Contábeis e Agente de Tributos da SEFAZ/BA.

Sobre rocharubronegro

Apenas um rubro negro apaixonado.

Publicado em setembro 18, 2013, em Rocha. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. getulio oliveira

    parabéns pelo texto, se me permite acrescentar: a imprensa sardinhesca é maior que a própria torcida do sardinha, caso não fosse verdade eles estariam só treinando em Itinga.

Deixe uma resposta para getulio oliveira Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: